BT

Engenheiros de Software precisam de um diploma em Ciências da Computação?

por Michael Stal , traduzido por João Talles em 28 Jan 2013 |

O papel de um engenheiro de software não necessariamente exige um diploma de Ciências da Computação. Entretanto, desde que o executivo chefe do Yahoo, Scott Thompson, deixou o cargo recentemente, devido a um falso diploma de faculdade de Ciências da Computação, a necessidade de um diploma universitário vem sendo discutida. Por exemplo, em seu artigo para o Dr. Dobb's intitulado "Todos engenheiros de software!", Andrew Binstock discute se engenheiros de software realmente precisam de um diploma em Ciências da Computação para executar um trabalho excelente.

De acordo com Andrew Binstock:

"Engenheiro de Software" é o mais recente termo que sofre com a peculiar desconexão com a realidade. Em gerações anteriores, o título de "Analista" era o termo favorito. Na era do Processamento de Dados de antigamente, o ponto de entrada na carreira técnica era o de "Programador". Quando uma mudança de título era necessária para refletir estabilidade, o programador era promovido para um "Analista/Programador". E depois disso, finalmente, um "Analista". Essa metamorfose poderia implicar que a programação era uma atividade que o funcionário tinha finalmente deixado para trás. Mas na verdade, a maioria dos analistas programava ainda mais do que os programadores juniores. Análise não era uma parte frequente do trabalho, com exceção de algumas posições que precisavam de um analista com função complementar a de um programador.

O artigo faz referências a Mark Zuckerberg e Bill Gates como engenheiros de software que tiveram sucesso sem um diploma de Ciências da Computação. Assim, a conclusão de Andrew Binstock foi:

O uso do termo "equivalente" na exigência de títulos para vagas pela indústria abre muito espaço para os candidatos que demonstram talento em codificação, mas que não possuem uma formação acadêmica. Enfim, todos esses profissionais podem ser considerados engenheiros de software!

Nem todos os leitores que fizeram comentários no artigo concordaram com as conclusões de Andrew Binstock. Por exemplo, o usuário "pjmlp" explica:

Em toda profissão existe um caminho de aprendizado que prova, que a pessoa em questão, possui as habilidades necessárias e é capaz de oferecer certa qualidade em seu trabalho. Minha experiência é que os programadores autodidatas não são capazes de entregar software com a qualidade que a maioria das empresas espera, porque suas habilidades são reduzidas ao que eles foram capazes de aprender no seu tempo livre.

O usuário "RussG" tem um ponto de vista diferente:

Infelizmente, um diploma em Ciências da Computação não necessariamente forma um bom programador. Ciências da Computação e programação de computadores são geralmente assuntos bem diferentes, e a maioria dos formandos parece vir para o mercado com expectativas que funcionam no meio acadêmico, mas não em uma grande equipe construindo aplicações de milhares de linhas de código.

Outro ponto importante de discussão está relacionado aos papéis especificos na engenharia de software, como é o caso do arquiteto de software. Um arquiteto de software que é responsável pela espinha dorsal de um sistema precisa de um diploma de Ciências de Computação ou pode ser um engenheiro de software autodidata? Ou, os engenheiros precisam de formação acadêmica, além de profunda experiência prática? Como Einstein disse uma vez: "Na teoria, teoria e prática são iguais. Na prática, elas não são".

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

Habilidade e Competência by Rodrigo Martins

Tenho um ponto de vista mais abrangente: a habilidade vs a competência. Escrevi um artigo sobre isso:


atitudereflexiva.wordpress.com/2009/07/01/habil...

Ciências da Computação? acredtio que não... by Maluko .

Conforme você mencionou, Ciências da Computação não forma apenas programadores, é focado na ciência, na pesquisa e no pioneirismo, onde retorno de muito trabalho pode não aparecer tão cedo.
Por essas características é que é uma formação mais adequada a desbravar pelo meio acadêmico.
Sistemas de Informação e Engenharia da Computação são formações mais focadas no mercado, um com um cunho mais administrativo, outro com o enfoque maior em computação. Porém, isso tudo é o ideal, na prática, não é bem assim que acontece. Todos podem continuar na Universidade ou seguir no mercado, pois todos continuando estudando, fazendo novos cursos, sendo autodidata e etc...
Eu diria que um diploma ajuda, e muito, ainda mais quando se aproveita o tempo dentro da Universidade. Mas para o mercado, acho que o adequado é Sistemas Informação ou Engenharia da Computação.
Não ter uma formação não é impeditivo, mas acho que limita a nossa evolução.

Talentos em TI by Paulo Rebelo

Este post é polêmico, além da formação acadêmica, devemos considerar outras características pessoais de um profissional de TI, tais como: trabalho em equipe e espírito de colaboração, pragmatismo, apetite por solucionar problemas, paixão por software, comunicação, entre outros. Tive uma bela experiência em trabalhar com profissinoais que não tinham concluído uma universidade (e aprendi muito), por outro lado, conheci gente com excelente formação e que também entregava valor para a empresa. Enfim, existem grandes mestres como Kent Beck que teve uma formação de Ciências da Computação e mestrado no mesmo assunto. No entanto, Steve Jobs e Bill Gates não tinham diploma universitário quando iniciaram a carreira.

Ciência # Engenharia # Arquitetura # Tecnologia by michel miotto barbosa

Ora ora ora.
Cientistas são Cientistas.
Engenheiros são Engenheiros.
Arquitetos são Arquitetos.
Tecnologistas são Tecnologistas.

Se Engenharia de Software, no Brasil ou em qualquer parte do mundo é objeto de estudo de todos estes, todos podem se entitular Engenheiros de Sofwtares - que é diferente de Engenheiros de Sistemas.
Agora, alguém sabe o diz o Ministério da Educação e Ministério do Trabalho?

Re: Ciência # Engenharia # Arquitetura # Tecnologia by Maluko .

Até onde eu sei, Engenharia da Computação, como toda engenharia, requer o mínimo de carga horária sobre cálculo e outros assuntos essenciais para engenharia. Esse curso é regulamentado pelo CREA.
Para ter o título engenheiro de software teria que ter essa carga horária mínima, e estar em dia com o CREA, sem isso não é permitido acrescentar "Eng." em seu nome.

Um dos cargos mais adequados a pessoas formadas em Ciências e Sistemas é de Analista de Sistemas (2124). Descrito na CBO (Classificação Brasileira de Ocupações) que está disponível no MTE (Ministério do trabalho e Emprego).

www.mtecbo.gov.br

"Desenvolvem e implantam sistemas informatizados dimensionando requisitos e funcionalidade dos sistemas, especificando sua arquitetura, escolhendo ferramentas de desenvolvimento, especificando programas, codificando aplicativos. Administram ambiente informatizado, prestam suporte técnico ao cliente, elaboram documentação técnica. Estabelecem padrões, coordenam projetos, oferecem soluções para ambientes informatizados e pesquisam tecnologias em informática."

Ou seja, o faz tudo com software...

As pré-condições para ter esse cargo são:

"Para o exercício profissional dessas ocupações, requer-se curso superior completo, em nível de bacharelado ou tecnologia. Podem, também, obter formação específica por meio de cursos de qualificação, com carga horária entre duzentas e quatrocentas horas. A experiência profissional prévia requerida dos titulares para o exercício pleno das atividades é de um a dois anos, incluindo o tempo de estágio."
Enfim, quem tem 200 horas de experiência comprovada pode exercer o cargo...

Re: Ciência # Engenharia # Arquitetura # Tecnologia by Paulo Marinho

Na minha opinião é necessário, pois senão for, me diga se um balconista de farmácia pode substituir um farmacêutico? Só por que o balconista tem anos de experiência e convive com medicamentos diariamente, na minha minha opinião formação é fundamental.

Experiência é necessário e conceitos vistos na faculdade são necessários by Flávio Cardoso

Trabalhei com SAP uma vez, vi uns absurdos nos fontes feitos por consultores durante a implantação. Coisa absurda que o programador fez. Fui procurar saber, quem fez a porcaria era um contador que fez uma academia ABAP e começou a trabalhar com isso. Uma simples query resolvia o problema.
Tenho aqui comigo (se alguém quiser ver eu envio por email, ahahaha) um screenshot de um treco cabeludo feito por um cara de RH.
Saber fazer if não significa saber desenvolver um sistema.

Re: Experiência é necessário e conceitos vistos na faculdade são necessário by michel miotto barbosa

Quero manifestar que concordo com o postado pelo Flávio Cardoso.

Eu também participo de Projetos - onde existem os tais Consultores Funcionais ou Técnicos - que geralmente não sabem nada ou muito pouco de Engenharia de Software.
E com isto, fazem muitas coisas erradas.

Ciências da Computação? Acompanhado de uma especialização em Eng. de Soft by Eder Nilson Santos dos Anjos

A graduação é base do conhecimento científico necessária. Ser um bom codificador torna o Engenheiro de Software mais preparado do ponto de vista do desenvolvimento, não somente com a visão arquitetural, mais também com uma melhor solução para o problema, mais o que dizer do Processo de Desenvolvimento de Software, qual o melhor modelo de desenvolvimento a ser adotado, quais os pontos de inserção de itens de qualidade e tudo mais no que tange o processo de desenvolvimento de software. Uma Especialização em Engenharia de Software se torna essencial para uma boa formação do profissional, pois abrange todo conhecimento (métodos, técnicas e ferramentas) sobre a Engenharia de Software.

Cenário Atual by Luís Fernando Vendrame

No cenário atual, pra assinar um bendito livro caixa, que qualquer programador, com o mínimo de esforço aprende a fazer, tem que pagar meio salário mínimo pra um contador, que as vezes é só técnico, que com o CRC em mãos tem este poder sobre você. Pra vender um apartamento ou uma casa, coisa que qualquer um tb consegue fazer, é necessário um curso do Creci e o registro. Pra fazer uma planta por mais imbecil que ela seja, e por mais que vc tenha estudado o terreno e lido sobre estruturas e cálculos, é necessário a assinatura de um engenheiro cívil ou arquiteto. Porque em um software que é muito mais complexo e exige muito mais estudo, não se exige a assinatura de um profissional registrado em algum conselho. Eu concordo que há grandes profissionais que não possuem faculdade, mas possuem uma gama de conhecimento e uma versatilidade enorme. Mas se em outras áreas exigem, porque a gente que tem que ficar na mão deles, pagando por assinaturas, vamos vender a nossa também ué, ou pondera melhor e vamos analisar de novo o que precisa e o que não precisa de assinatura.

Pedreiro vs Engenheiro by Leonardo Cardoso

Gostaria de expressar minha opinião com uma analogia:

* Um pedreiro(sem formação) após anos de experiência PODE realizar um trabalho de qualidade.

* Um engenheiro(com toda formação e conhecimento) em pouco tempo de experiência DEVE ser capaz de realizar um trabalho de qualidade.

Note que os dois sujeitos, o pedreiro como programador autodidata e o engenheiro como um um Cientista da Computação, em um momento se equivalem(na área de TI), no entanto, a valorização do engenheiro tende a ser maior no inicio por o mesmo ter adquirido todo o conhecimento que a facultado o prove nos anos de sua formação; sendo esse conhecimento as ferramentas mais adequadas para realizar um trabalho de qualidade.

Re: Pedreiro vs Engenheiro by Leonardo Cardoso

correção: ... todo o conhecimento que a "FACULDADE" o prove nos anos de sua formação ..

O profissional de verdade vai buscar a formação adequada by Fábio Costa Silva

Não vou dizer que a faculdade vai formar um engenheiro de software. Mas eu acredito que o profissional que é autodidata, competente, comprometido, enfim, aquele que tem as habilidades para exercer a função deve sim buscar a formação adequada. Eu conheço muita gente boa que não faz ou não termina a graduação porque acha que "não precisa" ou "é perda de tempo", mas esse é o caminho da profissionalização. Da mesma forma que um cozinheiro autodidata também deve buscar uma formação superior para atuar num bom restaurante, mesmo que ele ache irrelevante. Quando digo formação superior me refiro a competências e não a títulos.
Se o cara é bom porque não faz a faculdade? Para mim isso é preguiça ou falta de comprometimento com a profissão.

Re: O profissional de verdade vai buscar a formação adequada by Oda San

Vide ao fato de formalizar a profissão.

Prédios só serão construídos por um engenheiro civil (regulamentado).
Então Softwares só serão desenvolvidos por um engenheiro de software?

E o resultado disso?

vide a própria academia não aprovar a regulamentação da profissão, neste caso ela(academia) acredita que qualquer ser humano pode construir software. Acham mesmo que ela (academia) está sendo realista? Então por que esses realistas não querem morar em prédios construídos por pedreiros? Coerência?

Acham mesmo que uma equipe da academia de computação, por exemplo, de pesquisa em IA, que se auto intitula cientifica, iria querer depender de uma mão de obra, considerada por eles, como industria?
Imaginem a cena, os pesquisadores diante de suas pesquisas e teses, concluem: "ótimo, isso irá funcionar, só precisamos agora de um engenheiro de software..."

Excelente matéria.

Re: O profissional de verdade vai buscar a formação adequada by ALISSON FERREIRA

Arquimedes e Leonardo da Vinci são considerados grandes engenheiros. No entanto, não cursaram faculdade.
A briga toda esta com o nome "Engenheiro" que nada mais é que uma pessoa que usa de engenhosidade para resolver um problema.
Steve Jobs criou várias soluções e Bill Gates também. Portanto usaram de engenhosidade para tal objetivo.
O tempo passou entre Arquimedes e Bill Gates mas ambos foram engenheiros.
Você pode ser engenheiro de qualquer coisa e melhor ainda quando é dono da sua própria empresa.
Tem muito engenheiro diplomado que nunca criou nenhuma solução.Principalmente os que passam em concurso público fora de sua área de formação , o que é muito comum no Brasil.

Re: O profissional de verdade vai buscar a formação adequada by ALISSON FERREIRA

Tem muitas empresas que não se prendem há um simples pedaço de papel para recrutar os melhores. Ou você pensa que a CIA, a Mossad, a antiga KGB saia recrutando nas universidades?
Um diploma, é claro que é válido! Ainda mais quando se passa 5 anos dedicado a tal tarefa. Só porque você tem um mestrado, um MBA e uma palestra que assistiu em Havard não quer dizer que é o mais capacitado para resolver um problema específico. A engenhosidade Humana não 100% atestada num pedaço de papel que inclusive pode ser comprado no mercado negro.

Engenharia... by Eduardo Miano

Depois de 5 anos cursando engenharia descubro que qualquer autodidata pode intitular-se "Engenheiro"... ????

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

17 Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2013 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT