BT

Início Artigos Coworking como uma mentalidade

Coworking como uma mentalidade

Favoritos

Pontos Principais

  • Coworking é uma mentalidade descrita no Manifesto de Coworking para ajudar a enfrentar os desafios de hoje, a fim de atender às necessidades de amanhã;
  • Colaboração, sustentabilidade, acessibilidade, comunidade e abertura são os cinco valores em que o coworking está se desenvolvendo;
  • Coworking não é um termo protegido. Portanto, esteja atento quando escolher um espaço para garantir os benefícios que o coworking real oferece;
  • Os espaços de Coworking são facilitadores para pessoas que trabalham com cowork - não importa se é para uma ideia de negócio, uma causa sem fins lucrativos ou simplesmente para evitar trabalhar sozinho - somos melhores juntos;
  • É possível começar com o coworking a qualquer momento, não há necessidade de esperar. Simplesmente leia o manifesto e comece a usar os comportamentos descritos para obter os benefícios.

Coworking é uma mentalidade que descreve o futuro do trabalho. O manifesto de coworking fornece uma estrutura de valores para criar comunidades sustentáveis baseadas na confiança, em que empresas, empresários, comunidades governamentais e não-governamentais e técnicas podem trabalhar juntas.

Dina Sierralta, especialista em espaços e métodos colaborativos, falou sobre espaços de coworking na Goto Berlin 2018. O InfoQ cobriu esta conferência com perguntas e respostas, resumos e artigos.

Muitas vezes, quando as pessoas ouvem o termo coworking, elas pensam em escritórios de espaço aberto, ambientes de trabalho criativos com muitos post-its e uma mesa de pebolim. Esses são espaços de coworking, mas eles servem ao propósito de reunir pessoas para lidar com certos desafios, argumentou Sierralta. Coworking é uma mentalidade que descreve o futuro do trabalho. Segundo ela, o espaço de coworking é uma ferramenta ou um facilitador para ser capaz de trabalhar como descrito no manifesto de coworking.

O manifesto de coworking afirma:

Temos o talento. Só precisamos trabalhar juntos. Diferentes ambientes precisam se sobrepor, se conectar e interagir para transformar nossa cultura.

Para criar uma comunidade sustentável baseada na confiança, valorizamos:

  • colaboração sobre concorrência;
  • comunidade sobre agendas;
  • participação sobre observação;
  • fazer ao invés de falar;
  • amizade sobre formalidade;
  • ousadia sobre garantia;
  • aprendizado sobre expertise;
  • pessoas sobre personalidades;
  • "ecossistema de valor" sobre "cadeia de valor".

Esta nova economia não pode prosperar sem engajar as grandes comunidades empresariais, criativas, empresariais, governamentais, não governamentais e técnicas.

Sierralta disse que a necessidade do manifesto data desde 2011, quando mais e mais pessoas começaram a falar sobre o que era coworking e o que nós, como movimento de coworking, estávamos almejando. Foi uma discussão conjunta entre pessoas de muitos países que tentaram escrever o que tínhamos em comum e o que estávamos tentando alcançar, disse ela.

O InfoQ entrevistou Sierralta sobre por que o coworking é mais que um espaço.

InfoQ: Por que existe a necessidade de um manifesto de coworking?

Dina Sierralta: Pessoalmente gosto de trabalhar com o manifesto porque ele fornece uma estrutura, mas não é excessivamente prescritivo no que deve ser feito. Ainda é preciso que pensar por si mesmo e descobrir o que essas coisas significam no contexto em que está trabalhando e vivendo. Ser claro sobre um objetivo comum também aumenta a probabilidade de alcançar esse objetivo. Então, o porquê e o que é claro, enquanto descobrimos todos os dias como fazer isso.

Como um treinadora ágil, também trabalho muito com o manifesto ágil. Às vezes, quando as pessoas se envolvem em discussões sobre os melhores frameworks e métodos, olhar para o manifesto deixa claro qual é o objetivo e tira o calor da discussão, porque fornece orientação para esse objetivo.

Além disso, o manifesto ágil e o de coworking têm muitas coisas em comum. O manifesto ágil diz que valorizamos indivíduos e interações sobre processos e ferramentas. O manifesto de coworking descreve isso como valorizar a amizade em relação às formalidades, fazendo mais do que dizer, pessoas acima das personalidades e participação acima da observação. Ambos têm fortes ligações com as pessoas e uma ênfase em fazer as coisas, o que contribui para o sucesso delas.

InfoQ: O manifesto de coworking afirma "participação sobre observação". Pode explicar o que isso significa?

Sierralta: Todo mundo provavelmente conhece a frase "A prática leva à perfeição". Tenho uma base pobre, e lá dizemos que constantemente queremos melhorar em busca da perfeição. Então a perfeição para mim é algo que nunca consigo alcançar, porque sempre há algo que posso fazer melhor, mas se esforçar para tornar as coisas existentes ainda melhores é um grande fator motivador em tudo que faço.

Portanto, se pedirmos às pessoas que participem em vez delas observarem, damos-lhes poder. Eles podem aprender, melhorar e criar o que é importante para eles. As pessoas aprendem fazendo as coisas e compreendem ainda melhor o que é preciso para fazer as coisas acontecerem.

Deixe-me dar um exemplo. Antes de administrar nosso espaço de coworking, visitei muitos outros espaços, e sempre que saía de um espaço tinha uma longa lista de coisas que não gostava de ter. Depois de um tempo, tive a impressão de que nenhum espaço era bom o suficiente para trabalhar. Quando finalmente comecei a construir e administrar nosso espaço, percebi quanto trabalho havia sido investido no que havia visto em todos os outros espaços. E meu sentimento sobre o que os outros haviam alcançado mudou completamente, para respeito e gratidão pelo que fizeram. Teoricamente, sabia que era preciso muito trabalho para criar um espaço de coworking bem-sucedido. Mas somente quando comecei a fazer todo esse trabalho que realmente tive uma profunda compreensão do assunto. Como o manifesto ágil, que afirma que as pessoas desenvolvem software e estão ajudando os outros a fazê-lo.

Então, se apenas observar, é muito fácil cair no papel de crítico e juiz. Mas quando participamos, é mais provável que seja solidário e atue como um coach para os outros. E esse é o comportamento que precisamos encorajar nos outros e trabalhar juntos.

InfoQ: Outra declaração no manifesto é "pessoas sobre personalidades". O que torna isso tão importante?

Sierralta: Recentemente, fiz esta pergunta a alguns colegas da Assembléia Européia de Coworking, pois sentia que não tinha certeza do que deveria significar. A resposta que recebi, que me ajudou muito, foi que devemos sempre dar as boas vindas a toda a pessoa que vem trabalhar conosco. Não apenas, por exemplo, a personalidade de seus negócios, ou pelo que eles são famosos. Reconhecemos que há mais para cada pessoa do que apenas sua especialização em um campo específico.

Para explicar, vamos analisar o framework Cynefin, de Dave Snowden, que ajuda a escolher uma estratégia para chegar a uma solução. Existem cinco domínios, os simples, os complicados, os complexos e os caóticos. O quinto é desordem, o qual não sabemos exatamente como estamos atualmente. Existem estratégias específicas que são úteis em um domínio, mas não nos ajudam, se o desafio que estamos abordando está em um domínio diferente.

O framework Cynefin ajuda a entender que a expertise é um campo que ajuda e apóia, a fim de enfrentar os desafios do domínio complicado. Portanto, precisamos apenas reunir os especialistas certos para ajudar com o conhecimento e a experiência deles, e estamos em uma boa direção.

Mas quando estamos trabalhando em um desafio complexo, isso não ajuda. Precisamos encontrar uma prática emergente usando experimentos para descobrir o que pode funcionar nessa área. E, muitas vezes, é difícil para os especialistas abandonarem o que aprenderam e experimentaram desde muito tempo.

O manifesto de coworking começa com o seguinte desafio que enfrentamos: "Acreditamos que a sociedade está enfrentando desafios econômicos, ambientais, sociais e culturais sem precedentes. Acreditamos também que as atuais inovações são a chave para transformar esses desafios em oportunidades para melhorar nossas comunidades e nosso planeta".

Então, todos esses desafios são complexos. E muitas vezes, a inovação é trazida por pessoas que não têm experiência, porque elas têm essas perguntas ou essas ideias que parecem completamente estranhas para um especialista. Mas isso pode encorajar uma maneira completamente nova de encarar um desafio e encontrar uma solução que surge quando colocamos pessoas com origens muito diferentes juntas.

InfoQ: Qual é o objetivo de considerar o "ecossistema de valor" em detrimento da "cadeia de valor"?

Sierralta: Observo que muitas pessoas se tornaram muito boas em olhar para as cadeias de valor. Isso é algo que ensinamos muito em Lean, quando analisamos o fluxo de valor. Às vezes há esse perigo em perder o quadro geral, porque nenhuma cadeia de valores existe por si só. Faz parte de um sistema maior, que descreveria como um ecossistema de valor.

Então, tem que estar ciente do ecossistema que está operando, e que às vezes é necessário mudar drasticamente suas ações. Muitas vezes, quando estou conversando com meus colegas em conferências de desenvolvedores como o gotocon em Berlim, as pessoas lembram umas às outras com muita frequência para não esquecer o ecossistema em que estão trabalhando, quando escrevem código ou quando analisam dados. Tem que ter em mente que sempre podemos usar essas coisas dependendo do que está tentando alcançar. Então, vale a pena verificar o que pode ser feito com o que acabei de criar no ecossistema, porque nem todas as coisas que podem ser feitas são por uma boa causa.

Sou uma farmacêutica treinada e discutimos se as farmácias on-line podem fornecer medicamentos mais baratos para as pessoas. Se olhar apenas para o custo do envio dos medicamentos para um paciente, isso pode ser verdade. Mas se olhar para o ecossistema dos serviços de saúde locais, ele mostra um quadro completamente diferente. Então, também reconhecemos que as farmácias locais têm um serviço de dia e noite, com uma pessoa muito informada sempre de plantão. Leve em consideração que existe o aspecto de pessoas idosas conversando com a equipe da farmácia, e que isso às vezes é o único bate-papo deles durante um dia, o que é um forte componente social. E há muitos outros exemplos que deixam claro que, se levar tudo isso em consideração, poderá ver uma imagem diferente e tomar decisões diferentes.

InfoQ: Como é a cena de coworking de Berlim?

Sierralta: A cena de coworking de Berlim é muito diversificada e interessante. Temos grandes comunidades que estão lá há muito tempo, como St. Oberholz e betahaus. Para mim, eles pertencem aos pioneiros que têm uma compreensão profunda do que é preciso para fornecer aos colegas de trabalho um grande espaço para trabalhar.

E temos muitos espaços de coworking menores ao virar da esquina, e acho que é o caminho a seguir no coworking. Essas grandes comunidades de coworking, complementadas com uma série de espaços pequenos e independentes em que todos colaboram, refletem dois valores importantes em ação. Eles estão pensando no ecossistema de coworking maior e estão colaborando para criar colegas de trabalho mais felizes.

Não existe um espaço de coworking certo para todos. Algumas pessoas desejam trabalhar com pessoas afins e especialistas em seu campo; espaços que se concentram em uma comunidade podem fornecer esse ambiente. Outros querem ver muitas pessoas diferentes ao seu redor. Alguns gostam de pequenas comunidades, enquanto outros gostam de grandes. Alguns gostam de um ambiente movimentado, outros gostam de um ambiente silencioso. Então, reconhecendo que isso é o que as pessoas precisam para efetivamente cowork, colaborar e trabalhar como um ecossistema de cidade de espaços de coworking torna a cena em Berlim especial para mim. Para meu conhecimento, eles são os primeiros na Alemanha a fazê-lo, inspirando muitos outros. Então, simplesmente usando os valores do manifesto e aplicando-o à sua cidade, eles já fizeram uma grande diferença na cena de coworking, não apenas em Berlim, mas também em outras cidades alemãs.

InfoQ: Quais são as coisas que devem ser consideradas ao escolher um espaço de trabalho de coworking?

Sierralta: Sempre digo às pessoas para não analisarem demais olhando sites ou classificações. Então, se um espaço parece interessante e acha que poderia funcionar, simplesmente vá até lá e tente. A maioria dos espaços oferece um dia de teste gratuito ou tem oportunidades regulares para testar se esses espaços são bons.

Além disso, pergunte a si mesmo o que quer desse espaço e o que pode trazer para esse espaço. Se quiser participar de um espaço de coworking, muitas vezes você é questionado pelo gerente da comunidade. Isso é porque gostaríamos de entender quem é você e o que gostaria de alcançar, para apoiá-lo.

O que geralmente ajuda é também questionar o quão importante é o seu espaço pessoal em um espaço de coworking. Se não se importa, pode trabalhar facilmente em qualquer mesa flexível, o que geralmente é uma opção barata. Se preferir um local específico em uma sala ou se precisar de uma tela maior que não deseja carregar todos os dias, uma mesa fixa pode ser uma opção mais adequada. E se precisa trazer um monte de coisas para poder fazer o seu trabalho, então pode considerar um pequeno escritório em um grande espaço. Mas não se surpreenda se os escritórios em alguns espaços de coworking forem realmente pequenos. A razão por trás disso é que os operadores do espaço de coworking gostariam que você aparecesse de vez em quando e interagisse com as outras pessoas naquele espaço, já que o movimento de coworking é sobre a comunidade de colaboradores que lidam com os complexos desafios do nosso tempo.

E mesmo que não esteja procurando um espaço para trabalhar, há boas notícias. É possível fazer um trabalho de cowork a qualquer momento, simplesmente olhando o manifesto de coworking, e começando a pensar em como o que está escrito ali pode agregar valor ao que se está tentando alcançar, e como seria começar a agir de acordo com os valores ali mencionados.

Como uma coach ágil, um dos meus trabalhos é criar um espaço para as pessoas, em que elas possam trabalhar e aprender juntas. Então, costumo me referir ao manifesto e me perguntar como seria um espaço e se as pessoas usariam os valores em seu trabalho diário. E então começo a criar esse espaço passo-a-passo com a equipe trabalhando nele. Este espaço é formado pela maneira como as pessoas interagem umas com as outras, aprendem juntas, tomam decisões e suas maneiras de trabalhar. Isso é mais que um espaço físico, porque essas coisas podem mudar facilmente. Mas a mentalidade que permite que esse espaço seja criado fica com as pessoas; meu objetivo é que esse espaço permaneça com as equipes, mesmo que seja um coach ágil.

Sobre a entrevistada

Dina Sierralta cria espaços para as pessoas. Como uma coach ágil e uma facilitadora experiente, ela sabe que o espaço certo é crucial para as equipes. Sua paixão é ser anfitriã de todos os tipos de situações em que as pessoas podem trabalhar e aprender juntas. No passado, ela construiu e liderou um espaço de coworking e compartilha seu conhecimento dessa indústria com você. Sierralta trabalha com a Learnical como especialista em espaços e métodos colaborativos

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

BT

Seu cadastro no InfoQ está atualizado? Poderia rever suas informações?

Nota: se você alterar seu email, receberá uma mensagem de confirmação

Nome da empresa:
Cargo/papel na empresa:
Tamanho da empresa:
País:
Estado:
Você vai receber um email para validação do novo endereço. Esta janela pop-up fechará em instantes.