BT

Como a IA revolucionará estas cinco profissões até 2022

| por Eugene Rudenko Seguir 0 Seguidores , traduzido por Rosangela Pereira Marquesone Seguir 0 Seguidores em 22 jan 2018. Tempo estimado de leitura: 14 minutos |

Para melhorar a experiência das pessoas que acessam o InfoQ Brasil, nós criamos uma série de funcionalidades que te permitem ficar por dentro das últimas tendências e das novidades de seu interesse, sem que você seja incomodado por coisas irrelevantes. Receba e-mails periódicos e notificações sobre seus tópicos favoritos!

Pontos Principais

  • O desenvolvimento de software verá o envolvimento da IA no apoio a decisões estratégicas e de arquitetura crescer, ao mesmo tempo em que substituirá algumas funções de desenvolvimento de nível inferior.
  • Os CIOs, em alguns casos, verão seu papel aumentado pela criação de um Chief Artificial Intelligence Officer, aumentando a presença tecnológica na sala de reuniões. Outros CIOs irão absorver a IA em suas atribuições.
  • Os analistas de dados gerenciarão cada vez mais a IA em vez de lidar com as próprias tarefas de análise de primeira linha, uma tendência consistente em todo o setor.
  • Os gerentes verão papéis de nível mais baixo e tarefas altamente repetíveis, como o gerenciamento de projetos, quase inteiramente automatizados, enquanto os gerentes de nível superior verão a tomada de decisão estratégica e as chamadas de julgamento cada vez mais enfatizadas.
  • O RH já está se movendo para abraçar a assistência da IA. À medida que se torna mais comum implementá-la em todas as fases do ciclo de vida do funcionário, podemos esperar ver os mesmos métodos de maximização automatizada de retenção e engajamento que estamos acostumados a ver no marketing aplicado às forças de trabalho.

Quando a Deloitte perguntou aos líderes da área de RH o que eles achavam que a IA traria para seus negócios, eles descobriram que 38% dos participantes já começaram a transição para a IA. 68% esperam começar a implementá-la até 2018. Isso não terá um efeito abstrato: todos iremos trabalhar com os resultados da revolução da IA. Muitos de nós já o faz. Então, quais profissões e tarefas irão mudar mais e como isso afetará o setor de tecnologia no dia-a-dia?

Enquanto a IA remodela o local de trabalho, estas 5 profissões serão alteradas completamente até 2022.

1: Desenvolvedores de software

Todos nós tivemos tempo de nos acostumarmos com a ideia de que a IA pode vencer os jogadores humanos, mesmo em jogos complexos, como xadrez e Go. Mas o que é mais inesperado é a possibilidade de que a IA pode avançar para criar jogos ou ampliar desenvolvedores humanos, à medida que criam jogos, aplicativos e até mesmo plataformas empresariais completas.

Criativos ou pseudo-criativos, os programas de IA tem um longo pedigree. Nós podemos olhar para o experimento de Simon Colton, The Painting Fool, 'um programa de computador e aspirante a pintor'. Isso foi interessante - mas ANGELINA é a IA na qual os desenvolvedores deveriam ficar de olho. Sendo uma abreviação de 'A Novel Game - Evolving Labrat, I've Named Angelina', o projeto é o trabalho de Michael Cook, pesquisador e estudante de doutorado quem espera que este seja um passo no caminho para um software capaz de interagir com a cultura humana.

É familiar ver a tecnologia de substituição em IA - máquinas que podem pintar, escrever, projetar ou desenvolver - em inúmeras manchetes. Esses projetos não estarão no local de trabalho por um tempo, se é que em algum momento estarão. Porém, os desenvolvedores provavelmente verão a necessidade do código manual desaparecer gradualmente. Isso é parte de uma tendência que tem acontecido - uma vez, você precisou codificar em um nível decente para tirar algo de um computador. Sem HTML, nenhum site. Agora, as interfaces gráficas combinam cada vez mais design e desenvolvimento.

As interfaces gráficas restritivas, utilizadas por não-desenvolvedores para design e desenvolvimento, essencialmente misturam e combinam uma variedade de elementos fora do catálogo. Essas interfaces serão substituídas por outras, aumentadas por IA, que codificam automaticamente para itens solicitados - substituindo ou interrompendo potencialmente o lucrativo mercado de modelos WordPress, entre outros negócios.

Em situações nas quais o desenvolvedor codifica ou verifica o GitHub quando não tem certeza, ambos podem ser automatizados, projetados na web e atualizar coleções internas de soluções codificadas inicialmente.

Qual efeito isso terá no desenvolvimento de forma mais ampla? Afinal, é um desenvolvedor que programa o IA, certo? Estes empregos ainda devem ser seguros.

Na verdade, isso não é algo confiável. A IA está se tornando bastante produtiva com códigos inovadores. O software de tradução habilitado para a IA do Google está gerando seu próprio idioma interno; as experiências de IA do Facebook criaram seu próprio idioma e começaram a conversar entre si antes que alguém conseguisse desligá-las. Mas esses tópicos são pequenos quando ao lado do DeepCoder da Microsoft, que faz o presságio de uma era aonde a IA escreve código por si só, ao invés de seguir um.

Daqui cinco anos, não se surpreenda ao ver o desenvolvimento como um papel de "supervisão de IA", deixando de ser uma disciplina independente para se tornar uma habilidade empresarial.

Na medida em que isso acontece, outros papéis na engenharia de software também serão afetados. De um modo geral, quanto mais um papel lida com o julgamento e a previsão e menos com ações repetitivas e estruturadas que ele requer, a IA futura provavelmente afetará esse papel. Os arquitetos, por exemplo, enfrentarão a concorrência séria da IA mais tarde do que os desenvolvedores de software. E a garantia de qualidade pode obter algum aumento de IA, mas o elemento humano de criação de software para humanos significa que eles estarão em seus lugares por um tempo ainda.

2: C(A)IOs?

À medida que os CIOs lutam para acomodar as mudanças em seu papel que a IA traz, tem havido a sugestão de que a solução ideal é de dar à IA seu próprio departamento e nomear um CAIO - Chief Artificial Intelligence Officer - para a suíte C.

O diretor de vendas e desenvolvimento em Rainbird, Matthew Buskell, diz:

Argumentaria, no entanto, que a IA apresenta oportunidades de Inovação Estratégica como Transformação Digital e Indústria 4.0, mas também impacta drasticamente os projetos de melhoria de processos encontrados em todo o negócio. Portanto, há mérito em ter isso como um papel que reporta diretamente ao CEO.

No fim, o fato é que o tema da IA é tão profundo que merece seu próprio líder e departamento.

Escrevendo para o HBR, Andrew Ng concorda: "Para a maioria das empresas que possuem dados, mas que não possuem conhecimentos profundos de IA", ele diz, "recomendo contratar um diretor de IA ou um VP de IA", acrescentando que "alguns dos CDOs (Chief Data Officer) e os CIOs com pensamentos inovadores estão efetivamente assumindo esse papel.

Esta mudança não é certa de forma alguma tanto que, em março deste ano, a HBR também publicou um artigo de Kristian J Hammond, cientista de pesquisa em IA na MocCormick School of Engineering, em Northwestern, intitulado "Por favor, não contrate um Chief Artificial Intelligence Officer. "

"Da mesma forma que a ascensão de Big Data levou à loucura do cientista de dados", argumenta Hammond, "o argumento é que cada organização agora precisa contratar um oficial do nível C que conduzirá a estratégia de IA da empresa."

Mas simplesmente ter uma estratégia de IA não é suficiente, complementa Hammond: em vez disso, a IA precisa ser integrada a serviço dos objetivos do negócio e não tendo seu próprio departamento.

O contra-argumento vem de Andrew Ng, que diz: "o benefício de um diretor executivo de IA é ter alguém que pode garantir que a IA seja aplicada em silos."

Outro argumento contra a criação desse papel é que, em poucos anos, a distinção entre "IA" e "não-IA" poderia começar a deixar de existir completamente. Nessa situação, o papel do CAIO poderia começar a desaparecer no marketing e no sucesso dos clientes.

A distinção final entre uma empresa que tem um CAIO e uma outra que não tem pode ser a sugestão da SearchCIO, por Chrag Dekate -- diretor de pesquisa da Gartner: "uma única regra para identificar se uma organização precisa de uma função centralizada é decidir se seu principal modelo de negócios exigirá uma mudança fundamental. Se a resposta for "sim", é necessário um diretor executivo de IA."

Supondo que, assim como oficiais de informação e tecnologia, a IA tenha seu próprio lugar na suíte C, como isso será?

O papel do CAIO na organização será menos para um especialista em assuntos do que para um generalista que possa explicar a IA ao restante da suíte C, e implementá-la de maneira construtiva - por exemplo, casar as possibilidades de IA com o "envolvimento intra-empreendedorismo" de inovações potencialmente disruptivas dentro de empresas já estabelecidas. Se não há CAIO para fazer isso, é provável que se torne a responsabilidade conjunta do CIO, CTO e CEO.

3: Analistas de dados

À primeira vista, os papéis dos analistas de dados estão entre os mais vulneráveis à mudança conduzida pela IA. É um papel que trata de preparar e analisar dados: certamente a IA é intrinsecamente melhor do que os humanos?

Afinal, "a IA pode manipular e organizar uma quantidade de dados que está além de tudo o que um humano poderia desejar consumir ou compreender", nas palavras de Dominic Namnath, CIO no Tri-Counties Regional Center, uma organização sem fins lucrativos em Santa Barbara, Califórnia.

Muitas empresas provavelmente começarão a ter essa visão também. É o trabalho do analista de dados fazer com que a organização compreenda que o negócio não será capaz de superar a implementação das melhores práticas de análise de dados e aterrar em um paraíso de clareza de dados habilitado por IA.

Na verdade, um dos principais marcadores que mostra que uma empresa está pronta para a implementação da IA é se ela já possui uma análise de dados madura e efetiva.

Quando a IA realizar o papel do analista de dados, será como uma nova ferramenta e, em seguida, como um co-worker subordinado, e não como uma substituição.

Os analistas de dados descobrirão isso somente depois de criarem estruturas que lhes permitam automatizar os fluxos de dados básicos. Se isso não for feito, adicionar IA a um montante não melhorará a eficácia do analista de dados ou mesmo a qualidade da informação que sustenta as decisões de negócios, porque a IA trabalhará com informações desatualizadas.

No entanto, algumas empresas verão IA transformar os processos pelos quais os dados são coletados. Por exemplo, os dados de CRM inseridos manualmente são notoriamente incompletos e não confiáveis. Mas, como os principais provedores de CRM adotam os complementos de IA ou tomam a IA em suas ofertas, é provável que esses dados se tornem mais confiáveis e exijam menor intercâmbio, pois serão transmitidos automaticamente de uma fonte digital para outra.

Mas "sem automação básica", advertem Nick Harrison e Deborah O'Neill, "as visões estratégicas da resolução de problemas complexos com o toque de um botão permanecem difíceis".

O papel do analista de dados envolverá cada vez mais a manipulação e o design de estruturas para permitir que a IA faça o trabalho de analisar os dados da empresa. Mas isso simplesmente acelerará o caos sem analistas de dados que possam estruturar fluxos de informações que centralizem e distribuem dados vitais de forma eficiente.

4: Gerentes

A maioria dos trabalhos de gerenciamento sobreviverá, embora muitos sejam radicalmente alterados à medida que tarefas e tipos inteiros de trabalhos passem a ser automatizados.

Ao passo que tarefas mais simples e repetitivas são automatizadas, a tomada de decisões rápidas e as chamadas de julgamento avançarão.

Nos próximos cinco anos, o dia de trabalho de um gerente perderá sua carga administrativa e a maior parte do tempo de reunião. Em vez disso, o tempo será dedicado ao pensamento estratégico e tático, ao julgamento e às habilidades cruciais das pessoas. O gerenciamento de nível médio será o nível mais afetado por essas mudanças, enquanto os operadores da suíte C verão mudanças importantes, mas relativamente menores.

O gerente médio está trabalhando basicamente em dois empregos. Um está focado em seus objetivos de emprego imediatos, enquanto o outro está destinado a manter sua parcela do data lake da empresa, manipulando a administração para seus funcionários e seus departamentos.

 
(Fonte: How Artificial Intelligence Will Redefine Management)

Isso vai mudar.

A IA mudará radicalmente essa alocação de tempo e esforço de duas maneiras:

1 - Grande parte do gerenciamento de projetos e do gerenciamento de tempo serão automatizados.

2 - Muitos administradores de nível gerencial serão auxiliados por robô ou IA.

Alguns destes tornarão as tarefas de administração self-service. Por exemplo, se um membro da equipe quiser reservar férias, ele agora pode pedir aos gerentes diretamente ou enviar uma mensagem. Em vez disso, um sistema automatizado pode permitir que a equipe entre com as datas que ele deseja e descubra se alguém está disponível para cobrir esse tempo. Por exemplo, o Subzz já oferece muitas dessas funcionalidades. Quanto tempo haverá antes de algo assim se tornar uma regra?

Muitos gerentes passam muito tempo em tarefas de gerenciamento de projetos - essencialmente, atribuindo seções de trabalho a diferentes funcionários e verificando se eles estão trabalhando. Esta é uma oportunidade clássica para a IA automatizar quase um papel inteiro: para a maioria dos gerentes, as tarefas de gerenciamento de projetos desaparecerão de suas listas de tarefas. (Nós também vimos alguns papéis mais básicos desaparecerem completamente em algumas empresas - a Fukoku Mutual Life Insurance substituiu 30 posições com a IA em janeiro deste ano.)

Tão logo assistentes de IA mais eficazes cheguem ao mercado, os gerentes confiarão em robôs para lhes dizer o que vem por aí, para alertá-los sobre mensagens importantes, para automatizar suas configurações de agenda e até para responder a perguntas comuns de superiores e funcionários.

5: RH

O RH sempre envolveu tomar decisões complexas com base em dados incompletos. Escrevendo para a IBM, Blythe Howard-Chou diz que os recrutadores, em média, não reecontrariam 39% de suas contratações recentes. No entanto, Howard-Chou observa que apenas 7% das empresas usam análises para prever e alcançar o sucesso da contratação.

A própria pesquisa da IBM indica que isso vai mudar significativamente e em breve. 46% dos entrevistados acreditam que a IA irá transformar sua aquisição de talentos. Mas como isso ocorrerá na prática?

Triagem automatizada e redução de ruídos

A contratação tendenciosa prejudica as empresas de várias maneiras. Além do dano da reputação, que ninguém pode pagar, ela rouba do negócio o melhor candidato para o trabalho. Ao automatizar o rastreio, a IA oferecerá ao RH a oportunidade de acelerar os estágios iniciais de contratação, removendo imediatamente os candidatos inadequados abaixo de um determinado limiar. Mas depois que esta etapa foi concluída, a IA entra novamente para garantir que um nome, código postal ou outros pontos de dados irrelevantes não sejam um entrave entre a pessoa certa e o trabalho certo.

Integração e treinamento aumentado

As abordagens on-board diferem enormemente entre o consumidor e o empregado. Os empregados geralmente são integrados por processos que envolvem o engajamento. Eles passaram a custar à empresa milhares de dólares em perda de produtividade e riscos de dados, graças ao não cumprimento dos protocolos -- que apenas lembram em partes -- e à não-adoção de ferramentas e sistemas -- que esqueceram como usar. Violações de segurança devido ao não-cumprimento e erro dos funcionários custam em média US$ 3,85 milhões. Gallup diz que 87% dos funcionários não estão engajados no trabalho.

Com os consumidores, não tomamos essa abordagem. Aplicativos móveis para o consumidor colocam mais esforços para incentivar o onboarding do que as empresas fazendo as contratações de carreiras médias. A IA mudará isso rapidamente, oferecendo programas abrangentes de integração que movem os funcionários de forma mais rápida e efetiva para a produtividade total, tomando técnicas emprestadas da gamificação e da integração do consumidor mais do que de procedimentos tradicionais para funcionários.

Significativamente, existe o escopo de substituição completa de alguns agentes de RH de baixo nível nos próximos cinco anos. O National Bureau of Economic Research informou este ano que a IA era mais eficaz para fazer contratações corretas do que humanos.

Conclusão

A IA mudará a forma com que trabalhamos de uma maneira que não vimos desde o século XIX. Veremos papéis de trabalho que costumavam ser intensivos em mão-de-obra para agora confiar em robôs para fazer o trabalho real - assim como fizemos com a produtividade física em fábricas no final do século XX. Começaremos a ver codificadores e desenvolvedores fazerem mais supervisão e trabalho estratégico, e menos trabalho braçal do dia a dia. E esse padrão será repetido em toda a organização, afetando particularmente os profissionais de gerenciamento e de dados.

Sobre o autor

Eugene Rudenko é gerente sênior de marketing on-line da Oxagile, uma empresa de desenvolvimento de software personalizado com foco em OTT e Vídeo Online, Comunicação em Tempo Real, Big Data, BI, entre outros. Embora ele se interesse por diferentes coisas relacionadas à TI, seu principal interesse está na área de desenvolvimento Front End.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião

Faça seu login para melhorar sua experiência com o InfoQ e ter acesso a funcionalidades exclusivas


Esqueci minha senha

Follow

Siga seus tópicos e editores favoritos

Acompanhe e seja notificados sobre as mais importantes novidades do mundo do desenvolvimento de software.

Like

Mais interação, mais personalização

Crie seu próprio feed de novidades escolhendo os tópicos e pessoas que você gostaria de acompanhar.

Notifications

Fique por dentro das novidades!

Configure as notificações e acompanhe as novidades relacionada a tópicos, conteúdos e pessoas de seu interesse

BT