BT

Vídeos da MountainWest RubyConf 2009

por Mirko Stocker , traduzido por Cássio Marques em 08 Abr 2009 |

A MountainWest RubyConf ocorreu de 13 a 14 de março em Salt Lake City. Todas as apresentações estao disponíveis no Confreaks; nós escolhemos algumas apresentações interessantes para dar a você uma visão geral e alguns pontos importantes.

A Grande Refatoração do Rails

Yehuda Katz falou sobre a fusão entre o Rails e o Merb no que irá se tornar o Rails 3.

O primeiro tópico é agnosticismo de ORM e o ActionORM, uma abstração para outras interfaces ORM para tornar mais fácil utilizar alternativas ao ActiveRecord (3:00).

O Merb ainda está evoluindo (11:10) e acumulando novas funcionalidades (Controller#call, Router#call) do Rails 2.3 que também estarão no Rails 3, para tornar o Rails e o Merb suficientemente parecidos, permitindo uma migração fácil.

Aos 17:50 minutos, Yehuda falou sobre algumas das refatorações que estão sendo feitas atualmente: limpeza (e também aumento na velocidade) de Callbacks, um gargalo encontrado através de profiling; remoção de um código antigo e confuso no ActionPack (21:52) e separação de código em novos frameworks, como o ActionDispatch (24:00)

O Merb 1 tem três tipos diferentes de APIs (pública, privada e plug-in, 28:25), O Rails também ganhará uma API plug-in, mas os detalhes mais específicos ainda não foram definidos.

O Rack::Bug (30:55), inspirado no DJango Debug Toolbar, tornará o debugging e a instrumentação de código mais fáceis.

Por fim, mas não menos importante (33:53), eles querem ter certeza de que o JRuby e o Ruby 1.9 podem executar o Rails 3.

Design e Construção de DSLs

Jeremy McAnally faz uma apresentação introdutória sobre DSLs, começando pelas razões para se criar DSLs. Com diversos exemplos, ele falou sobre a diferença entre DSLs externas (8:22) e internas (10:05).

Se você já sabe o básico sobre DSLs, você pode pular direto para a seção sobre as decisões de design para DSLs (16:32) e aprender como encontrar os termos essenciais para a linguagem.

O restante da apresentação é principalmente sobre os diferentes padrões de implementação para DSLs (19:11), por exemplo encadeamento de métodos ou a utilização de method_missing.

Ele termina com algumas palavras sobre testes de DSLs (32:40).

Rubinius

Para uma rápida visão geral sobre o que está acontecendo atualmente com o Rubinius (Garbage Collector, FFI), talvez você queira gastar 5 minutos para escutar Brian Ford

Usabilidade no Rails

Começa com uma motivação geral e uma introdução sobre usabilidade. A parte principal da apresentação cobre 7 princípios de usabilidade com muitos exemplos reais e dicas para desenvolvedores.

  • crie a estrutura (4:50)
  • utilize padrões (7:10)
  • seja previsível (8:01)
  • reduza barreiras (10:00)
  • adicione possibilidades (11:53)
  • dê retorno (15:08)
  • simplifique (17:18)

Depois de Adam Dunford (21:30), Jason Edwards começa com uma aplicação Rails recém criada com o uso de scaffold e mostra em diversas iterações como podemos torná-la mais usável de acordo com os 7 princípios mostrados acima.

Vertebra

Kirk Haines da Engine Yard explica como funciona o Vertebra, o framework deles para gerenciamento de serviços com tolerância à falhas. Ele começa com os fundamentos: o protocolo baseado em XMPP (2:54) e o servidor Ejabberd (5:15).

Agentes (5:55) são executados em suas máquinas na nuvem e provêm um determinado serviço, o qual eles registram em um Herault (7:30). Esses serviços podem então ser descobertos por clientes agentes dos Heraults (9:30). Heraults também lidam com autorização (10:06).

Se você tiver diversos agentes fornecendo o mesmo serviço, você pode usar um Scope (11:56) para controlar como as operações são distribuídas.

Após esta introdução, Haines fala sobre as bibliotecas e frameworks que eles utilizaram para construir o Vertebra, assim como os problemas que eles encontraram: XMPP4EM (14:05), Loudmouth (14:28), EventMachine::Deferrable (15:23).

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião
Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
Marketing
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2016 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT

We notice you’re using an ad blocker

We understand why you use ad blockers. However to keep InfoQ free we need your support. InfoQ will not provide your data to third parties without individual opt-in consent. We only work with advertisers relevant to our readers. Please consider whitelisting us.