BT
x Por favor preencha a pesquisa do InfoQ !

Google Wave um ano depois do fim: vivo, bem e incubado na Apache

por Eder Magalhães em 08 Ago 2011 |

Passado um ano do anúncio oficial do fim do Wave, como um produto Google, engana-se quem acredita que a tecnologia morreu. O Google cumpriu com a promessa: doou a tecnologia que implementa waves como um projeto de código aberto para a fundação Apache. 

Uma wave é um canal de comunicação e colaboração entre múltiplos usuários que permite unir características de serviço de email, mensagem instantânea e redes sociais em um único ambiente, e é acessível a partir de qualquer navegador web moderno. Uma característica notável é a possibilidade de vincular robots a waves. Esses robôs operam de modo sensível às interações dos usuários. Por exemplo, imagine um bate-papo de um brasileiro e um chinês nas suas línguas nativas; um robô realizaria a tradução simultânea da conversa do português para mandarim (ou cantonês) e vice-versa, de forma transparente para os dois usuários.

Com o fim do Google Wave alguns imaginavam que a proposta de colocar pessoas em um mesmo canal de comunicação e colaboração instantânea seria descartado, mas não foi bem isso o que aconteceu. O desenvolvimento de waves continua ativo, mas agora através do projeto Apache Wave. (Parte da ideia continua viva também no Google Docs e especialmente no Google+.)

O principal motivo alegado pelo Google para encerrar o Wave, foi a falta de usuários. Mas o motivo identificado por muitos comentaristas na web foi a complexidade na utilização da ferramenta, que contava com uma interface complexa e deixava pouco claro o seu objetivo central. Agora, com uma comunidade de desenvolvedores mais diversificada, é provável que a tecnologia evolua e aumente sua maturidade, eliminando esses problemas e permitindo tirar proveito do potencial do Wave.

O Apache Wave é um projeto que, por enquanto, pertence à incubadora (Podling) da Apache, uma fase de adequação do projeto com a licença e as características da fundação Apache. O foco atual é no desenvolvimento do produto Wave in a Box (WIAB), que inclui:

  • Aplicativos para camadas servidor e cliente web com suporte a colaboração em tempo real, usando a mesma estrutura de conversas do Google Wave;
  • Um painel de waves, na camada cliente web, com a possibilidade de apresentar conversas paralelas;
  • Mecanismos para armazenamento e pesquisas de waves de forma otimizada;
  • APIs para customização de gadgets (componentes visuais implementados via JavaScript) e robôs;
  • Federação de waves em outras instâncias de Wave in a Box, utilizando o protocolo de comunicação Wave Federation Protocol.

O Wave in a Box não é simplesmente uma cópia do Google Wave. A proposta do produto é permitir que desenvolvedores e usuários tenham a oportunidade de implementar waves em sua própria infraestrutura de servidores.

Para participar do projeto ou ter acesso aos envolvidos, o código fonte, o roteiro das funcionalidades implementadas, uma wiki e outras informações, a Apache disponibiliza esse site do projeto incubado.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião
Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
Marketing
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2016 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT

Percebemos que você está utilizando um bloqueador de propagandas

Nós entendemos porquê utilizar um bloqueador de propagandas. No entanto, nós precisamos da sua ajuda para manter o InfoQ gratuito. O InfoQ não compartilhará seus dados com nenhum terceiro sem que você autorize. Procuramos trabalhar com anúncios de empresas e produtos que sejam relevantes para nossos leitores. Por favor, considere adicionar o InfoQ como uma exceção no seu bloqueador de propagandas.