BT

Psicologia Aplicada para Engenheiros de Software

| por Michael Stal , traduzido por Mário Henrique Trentim em 09 nov 2011. Tempo estimado de leitura: 2 minutos |

Em 01 de novembro, o engenheiro de software e autor John R. Fox publicou seu livro "Trabalho Digital em um Mundo Analógico" (Digital Work in an Analog World), cujo subtítulo, "Melhorando a Engenharia de Software através da Psicologia Aplicada", indica o verdadeiro objetivo do trabalho: discutir os aspectos psicológicos no contexto de engenharia de software (o termo "Analógico" se refere a aspectos não-técnicos).

Nos projetos de engenharia de software, muitos desafios estão relacionados com fatores intangíveis. Por exemplo, como podem os arquitetos de software convencer seus gerentes a gastar mais tempo nas atividades de refatoração ou em revisões de arquitetura? Para motivar a equipe, afirma John Fox, os engenheiros de software necessitam muito mais de habilidades interpessoais do que de conhecimento técnico aprofundado. Essas habilidades são frequentemente subestimadas, e não sào ensinadas em escolas e universidades. Essa é a lacuna que o novo livro de Fox tenta preencher.

No início, o autor trata de fundamentos de psicologia aplicada. Ele apresenta as diversas personalidades na criaçãoo de software e mapeia os conceitos gerais de psicologia aplicada para o contexto de engenharia de software. Apresenta ainda grandes questões na engenharia de software, tais como qualidade das estimativas, problemas de planejamento e expectativas não-realistas.

O livro aborda muitos fatores psicológicos encontrados em organizações que desenvolvem software, incluindo:

  • Recompensas, objetivos e desmotivadores

  • Estresse

  • Dificuldades cognitivas

  • Influência, persuasão e pressão Social

  • Inteligência analógica

  • Resolução de problemas, tomada de decisão e criatividade

Além disso, Fox escreve sobre aspectos pessoais como Liderança, Cultura, Equipes e Talento. O autor afirma que os aspectos psicológicos são um fator importante de sucesso na indústria de engenharia de software. Porém, não diz que seja a solução para todos os problemas:

A aplicação de conceitos e princí­pios psicológicos ao processo de desenvolvimento de software é um avanço na direção correta. Entretanto, embora eu acredite que um melhor entendimento da psicologia possa nos ajudar, não estou sugerindo que é uma bala de prata. Na verdade, a crença em Balas de Prata tem sido grande parte do problema.

O livro oferece muitos insightssobre a psicologia e o seu impacto no desenvolvimento de software, mas sem a pretensão de cobrir todas as habilidades sociais.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião

Faça seu login para melhorar sua experiência com o InfoQ e ter acesso a funcionalidades exclusivas


Esqueci minha senha

Follow

Siga seus tópicos e editores favoritos

Acompanhe e seja notificados sobre as mais importantes novidades do mundo do desenvolvimento de software.

Like

Mais interação, mais personalização

Crie seu próprio feed de novidades escolhendo os tópicos e pessoas que você gostaria de acompanhar.

Notifications

Fique por dentro das novidades!

Configure as notificações e acompanhe as novidades relacionada a tópicos, conteúdos e pessoas de seu interesse

BT