BT

Dívida técnica custa 3.6 dólares por linha de código, segundo a CAST Software

por Christopher Goldsbury , traduzido por Eder Ignatowicz em 15 Mar 2012 |

Uma série de posts no blog de Jonathan Bloom da CAST software, resumiu o relatório de sua empresa referente à dívida técnica. Este é o segundo ano em que a CAST produziu este tipo de relatório. Os dados de 2012 foram compilados a partir de 160 empresas diferentes, de uma variedade de indústrias. O número total de sistemas estudados foi 745, representando um agregado de 365 milhões de linhas de código.

Entre os principais resultados apresentados no relatório podemos destacar:

  • A CAST estima que a atualmente a dívida técnica custe às empresas 3.61 dólares (cerca de 6,50 reais) a cada linha de código.
  • Mais de 35% dos itens apontados como de dívida técnica resultam em impacto negativo nos negócios, comprometendo segurança, performance e disponibilidade.
  • Aplicações desenvolvidas através de contratações externas não apresentam diferenças substanciais em relação à sua qualidade estutural, quando comparadas às desenvolvidas internamente nas empresas. O mesmo é verdade na comparação entre desenvolvimento local e o terceirizado para outros países.
  • As aplicações baseadas em Java EE predominam entre as estudadas; quando comparadas às em outras linguagens e plataformas, receberam notas inferiores em desempenho e apresentaram maior dívida técnica.
  • O aumento de modularidade ameniza o impacto do tamanho das aplicações sobre a qualidade interna.
  • Aplicações em COBOL foram avaliadas pelo relatório como as mais seguras, enquanto as aplicações .NET aparecem como as mais vulneráveis.
  • Sistemas governamentais tendem a ter a menor facilidade de manutenção.
  • Quanto mais frequentemente são liberados novos releases, maior é a dívida técnica.

Analistas do Gartner também analisaram este problema e detectaram um problema crescente de dívida técnica nas organizações. David Norton escreveu um post em seu blog, onde compara o problema a uma bomba relógio, que pode ser ignorada por um determinado período de tempo, mas que fatalmente causará graves danos a organização, se não tratada apropriadamente.

A CAST e outros especialistas na área recomendam que as organizações contabilizem a dívida técnica como parte dos seus orçamentos. Uma abordagem para a monetização (ou quantificação) da dívida técnica foi apresentada por Israel Gat no InfoQ.com em 2010.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião
Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
Marketing
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2016 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT

We notice you’re using an ad blocker

We understand why you use ad blockers. However to keep InfoQ free we need your support. InfoQ will not provide your data to third parties without individual opt-in consent. We only work with advertisers relevant to our readers. Please consider whitelisting us.