BT

Kanban: Não foque apenas no fluxo dos cartões

por Marcelo Costa em 04 Mai 2012 |

David J Anderson é uma das maiores referências sobre o método Kanban no mundo e uma das cinco pessoas mais influentes no mundo ágil, segundo site especializado no assunto. Anderson escreveu recentemente um artigo para o SD Times com o objetivo de elucidar algumas dúvidas que ainda persistem sobre o Kanban e que comumente confundem muitos entusiastas que utilizam Scrum:

As pessoas frequentemente me perguntam "Porque eu deveria usar Kanban?" ou mesmo "Porque mudar de Scrum para Kanban?". Essas questões me mostraram que era preciso uma comunicação mais elaborada sobre o que é Kanban e explicar porque muitas pessoas começaram a usá-lo.

No artigo, David Anderson faz uma breve introdução a respeito da filosofia Lean e como o Kanban está inserido neste contexto:

O Kanban é um método Lean que se inicia nos processos atuais de uma empresa e que o incrementa [ou otimiza] para proporcionar uma melhor previsibilidade e gestão de riscos. O Kanban pode ajudar a trazer de volta à vida um projeto ágil (ou cascata) que tenha estagnado, criando uma solução personalizada com base nas necessidades específicas da empresa. O kanban também auxilia na criação de uma cultura de melhoria contínua, de modo que podemos melhorar o planejamento e as entregas do trabalho realizado, deixando os colaboradores mais felizes com seus empregos.

Além disso, David Anderson exemplifica a real utilização de Kanban, em um ambiente de produção, com abordagens simples:

O Kanban nos diz que devemos visualizar primeiro o trabalho que aparentemente está obscuro e como se estrutura o processo atual para que, então, seja possível enxergar o fluxo completo em vigor. Este modelo visual permite identificar gargalos e reduzir o impacto da variabilidade.

O autor exemplifica também um cenário de desenvolvimento típico em que um lote de itens de trabalho, tais como funcionalidades, está prevista para conclusão no final de uma iteração de 2 semanas. Antes da equipe se comprometer com a iteração são considerados: o que a equipe conhece dos requisitos, quais as dependências e qual é a disponibilidade dos membros da equipe para esta iteração [férias previstas, feriados, etc].

Anderson retrata, então, o seguinte cenário possível:

O trabalho começa e a realidade aparece: Existe um fornecedor indispensável que não está disponível; Um gerente responsável pela aprovação de etapas que também está desaparecido; O próprio processo de desenvolvimento está longe de ser eficiente, com interrupções e retomadas frequentes; A área de negócio gera várias interrupções, exigindo reuniões e trabalho não programado; Os desentendimentos são corriqueiros, atrasos de horário recorrentes e compromissos são perdidos.

E o que pode mudar essa situação?

Segundo David Anderson,  idealmente é importante começar com uma sensação realista da demanda, uma compreensão do que as partes interessadas necessitam. É muito provável também que a capacidade de entrega da equipe esteja abaixo da demanda esperada, e esta é uma fonte constante de insatisfação:

Como profissionais gostaríamos de encontrar meios de adequar as demandas para melhor atender a nossa capacidade de entrega e, ao mesmo tempo, considerar como podemos melhorar e aumentar nossa capacidade de entrega.

O autor também comenta sobre como criar uma cultura de políticas claras, melhorar a comunicação e os mecanismos de feedback na empresa e finalizada afirmando que o Kanban está disseminado no mundo todo por meio das comunidades e da lista de discussão com mais de 2000 membros. No Brasil a lista de discussão possui ainda poucos integrantes, mas vem crescendo.

O Kanban é uma abordagem utilizada mundialmente e nos últimos anos ganhou destaque com sua utilização na área de desenvolvimento de software. Sua metodologia de acompanhamento de processo e de envolvimento da equipe como um todo vem proporcionando a visibilidade necessária para tratar os pontos de gargalo ou que simplesmente não funcionam. O artigo escrito por David J Anderson para o SD Times, elucida de forma breve como entrar no mundo Kanban e compreender de uma forma simples e bastante didática sua utilização.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião
Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
Marketing
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2016 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT

We notice you’re using an ad blocker

We understand why you use ad blockers. However to keep InfoQ free we need your support. InfoQ will not provide your data to third parties without individual opt-in consent. We only work with advertisers relevant to our readers. Please consider whitelisting us.