BT

A sua opinião é importante! Por favor preencha a pesquisa do InfoQ!

H.265: o futuro da codificação de vídeos?

| por Abel Avram Seguir 4 Seguidores , traduzido por João Talles Seguir 1 Seguidores em 11 fev 2013. Tempo estimado de leitura: 1 minuto |

Para melhorar a experiência das pessoas que acessam o InfoQ Brasil, nós criamos uma série de funcionalidades que te permitem ficar pode dentro das últimas tendências e das novidades de seu interesse, sem que você seja incomodado por coisas irrelevantes. Receba e-mails periódicos e notificações sobre seus tópicos favoritos!

A International Telecommunications Union (ITU) anunciou a aprovação da recomendação ITU-T H.265 ou ISO/IEC 23008-2, que é a base para um novo padrão de codificação de vídeos. O padrão sucede o popular H.264, utilizado atualmente por 80% dos vídeos no mundo, de acordo com própria ITU. O novo padrão também é chamado de "codificação de vídeo de alta eficiência" (da sigla em inglês, HEVC). Seu desenvolvimento começou em meados de 2004, logo depois que o padrão H.264/MPEG-4 AVC foi aprovado.

O padrão H.265 promete suporte ao formato 8k Ultra-High-Definition (UHD 8192 x 4320), utilizando menos da metade da banda que o H.264. Isso torna o novo padrão especialmente útil para a distribuição de vídeos para dispositivos móveis, onde geralmente a conexão a internet é limitada. Por outro lado, como o HEVC utiliza processamento paralelo para codificação dos vídeos, espera-se uma exigência maior de recursos que a do padrão H.264.

Apesar de diversas empresas, como Broadcom, Cyberlink, Ericsson, Mitsubishi e outras, já terem implementado dispositivos para demonstração com o padrão H.265, ainda levará alguns anos para o que a nova tecnologia seja aceita e adotada.

Patentes são um possível problema. A empresa MPEG LA, detentora do conjunto de patentes do padrão H.264, prometeu que vídeos em H.264 disponibilizados via internet gratuitamente estarão livres de pagamento de royalties para sempre - mas quem sabe o que acontecerá com o padrão H.265?

O Google propôs o padrão WebM em 2010, um novo padrão de codificação baseado no VP8 livre de pagamento de royalties, que foi incluído no Chrome com a intenção de substituir o H.264; Mozilla e Opera também incluíram suporte ao WebM. Entretanto, o padrão H.264 continua dominante. A MPEG.LA exigirá royalties para conteúdo gratuito ou não? Só o futuro dirá. Enquanto isso, o padrão H.264 permanece como o único padrão de codificação com ampla adoção, e o H.265 provavelmente seguirá o mesmo caminho.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião

Faça seu login para melhorar sua experiência com o InfoQ e ter acesso a funcionalidades exclusivas


Esqueci minha senha

Follow

Siga seus tópicos e editores favoritos

Acompanhe e seja notificados sobre as mais importantes novidades do mundo do desenvolvimento de software.

Like

Mais interação, mais personalização

Crie seu próprio feed de novidades escolhendo os tópicos e pessoas que você gostaria de acompanhar.

Notifications

Fique por dentro das novidades!

Configure as notificações e acompanhe as novidades relacionada a tópicos, conteúdos e pessoas de seu interesse

BT