BT

Chef 11: pronto para hyperscale

por Aslan Brooke , traduzido por Hugo Lavalle em 08 Mai 2013 |

A Opscode lançou recentemente o Chef 11 com melhorias de escalabilidade para suportar a demanda de operações web de servidores "hyperscale". A Opscode reescreveu toda API núcleo do servidor em Erlang e, ao mesmo tempo, manteve a retrocompatibilidade com versões anteriores. A Opscode rebatizou a API para "Erchef" como referência à reescrita do código em Erlang. Eles também separaram o código-fonte de servidor do código-fonte de cliente, e reorganizaram o servidor em múltiplos projetos, todos escritos em Erlang.

Seth Falcon escreveu um post no blog da Opscode com informações adicionais sobre o Chef 11, incluindo:

As características que tornam o Erlang uma boa escolha para web services com alto volume são: a memória e o modelo de processos do tipo share-nothing, a escalabilidade multi-núcleo, e, por fim, a performance soft-realtime obtida pelo modelo de execução do garbage collection utilizado no Erlang, que é por processo.

Timothy Prickett Morgan também escreveu sobre como a reescrita em Erlang possibilitou as seguintes evoluções:

O Chef 11 tem um consumo de memória bem menor comparado com o Chef 10, feito em Ruby.

O Chef 11 suporta até 10.000 instâncias a partir de um único Chef 11 server, o que significa quatro vezes mais do que o Chef 10 suportaria.

A interface web para usuário no Chef 11 permanece em Ruby, porém agora utiliza o framework Rails 3.2 em vez do Merb, e interage com o "Erchef" através de sua API. Agora o empacotamento Omnibus permite distribuir a API principal e a GUI em um único pacote através dos sistemas nativos de administração de pacotes em múltiplas plataformas, incluindo: Enterprise Linux [x86_64] (versão 5.6) e Ubuntu [x86_64] (versões 10.04, 10.10, 11.04, 11.10, 12.04, 12.10). A Opscode também irá disponibilizar ferramentas para migração aos usuários do servidor Chef 10 de código aberto.

A Opscode incorporou várias melhorias às ferramentas cliente no Chef 11, incluindo modificações em funcionalidades nas seguintes áreas: atributos, segurança, espelhos de arquivo remotos, templates parciais, arquivo de lock e LWRPs. Entretanto, as evoluções e novas funcionalidades trazem algumas mudanças mais radicais. É possível implantar o componente servidor do Chef 11 e executar clientes do Chef 10 até que os cookbooks sejam atualizados para atender os requisitos do componente cliente do Chef 11.

Melhorias adicionais para a suíte de ferramentas cliente do Chef 11 incluem:

  • A ferramenta de linha de comando Knife agora suporta knife-essentials;
  • O Knife ssh retorna um código baseado na execução remota de comando;
  • Shef foi renomeado para "chef-shell";
  • Inclusão de uma nova ferramenta chamada "chef-apply" para execução de cookbooks individuais.

O Chef 11 continua disponível como produto de código aberto, mas agora também possui suporte oferecido pela Opscode.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião
Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
Marketing
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2016 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT

We notice you’re using an ad blocker

We understand why you use ad blockers. However to keep InfoQ free we need your support. InfoQ will not provide your data to third parties without individual opt-in consent. We only work with advertisers relevant to our readers. Please consider whitelisting us.