BT

Novidades O InfoQ vem desenvolvendo uma série de novas funcionalidades para melhorar sua experiência com o site. Confira!

Princípios de design orientado a objetos e programação funcional

| por Jan Stenberg , traduzido por Gabriel Ozeas em 30 mai 2014. Tempo estimado de leitura: 1 minuto |

A programação orientada a objetos possui vários princípios de design já estabelecidos, assim como os princípios SOLID. Contudo, na programação funcional muitos desenvolvedores não sabem como utilizar estes princípios, foi o que Richard Warburton recentemente destacou em uma apresentação.

Sobre o mesmo assunto, Mark Seemann escreveu em seu blog que ao levar os princípios SOLID ao extremo, chega-se a algo que torna a programação funcional mais atrativa.

Richard Warburton, que também é membro do Comitê da JCP em Londres, cita em sua apresentação como os princípios SOLID são exemplos bem estabelecidos de design da orientação a objetos identificados por Robert C. Martin nos anos 2000, e analisa cada um dos cinco princípios tentando identificar sua equivalência no paradigma funcional.

Richard aponta que apesar de muitos desenvolvedores não saberem aplicar suas habilidades de design existentes no modelo funcional, a programação funcional pode frequentemente auxiliar na implementação de princípios SOLID. Além disso a mentalidade funcional pode ajudar a atingir um importante aspecto da orientação a objetos: o encapsulamento.

Por fim, Richard conclui que todos os princípios SOLID possuem um equivalente funcional. Existem padrões de design que não precisam ser abandonados; ao contrário, podem ser aperfeiçoados tornando-os mais simples e claros.

Mark Seemann, arquiteto de software e consultor independente, com sua experiência descobriu que os princípios SOLID podem levar a um estilo de design que torna a programação funcional mais atrativa.

Quando se esta aplicando dois dos princípios SOLID, Single Responsibility Principal (SRP) e Interface Segregation Principle (ISP), acaba-se com uma base de código de interfaces com alta-granularidade e classes com somente um método.

Mark conclui que aplicando repetidamente estes dois princípios, leva-se a pequenas classes de apenas um método e que neste ponto pode ser hora de mudar para uma linguagem de programação funcional como o F#.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião

Faça seu login para melhorar sua experiência com o InfoQ e ter acesso a funcionalidades exclusivas


Esqueci minha senha

Follow

Siga seus tópicos e editores favoritos

Acompanhe e seja notificados sobre as mais importantes novidades do mundo do desenvolvimento de software.

Like

Mais interação, mais personalização

Crie seu próprio feed de novidades escolhendo os tópicos e pessoas que você gostaria de acompanhar.

Notifications

Fique por dentro das novidades!

Configure as notificações e acompanhe as novidades relacionada a tópicos, conteúdos e pessoas de seu interesse

BT