BT

ITIL x DevOps: diferentes pontos de vista

| por João Miranda Seguir 2 Seguidores , traduzido por Tulius Lima Seguir 0 Seguidores em 17 set 2015. Tempo estimado de leitura: 3 minutos |

A discussão ITIL versus DevOps é comum existem vários pontos de vista sobre o assunto: alguns argumentam que ITIL e DevOps tem mentalidades diferentes; outros argumentam que são compatíveis; outros ainda dizem que são diferentes, mas ambos tem seu espaço nos departamentos de TI. Charles Betz é líder do Agile Workstream no Open Group IT4IT Forum que busca disponibilizar uma "arquitetura de referência agnóstica para gerenciar aspectos do negócio associados à TI". Em um artigo recente, Betz argumenta que os princípios básicos de ITIL e devOps são díspares. O ITIL ainda está preso a um fluxo de trabalho em fases. O DevOps abraça os princípios da gestão lean de produtos, como gerenciar o trabalho em andamento, gerenciar as filas e executar o trabalho em pequenos lotes.

Betz e Jeff Sussna, ambos céticos ao ITIL, concordam que o ITIL prestou um grande serviço à comunidade de TI ao "promover uma mentalidade centrada no serviço, de fora para dentro, focada no cliente". A discussão no âmbito do ITIL V3 sobre "Melhoria de Serviço Continuada" visa alinhar continuamente os processos de TI com as necessidades do negócio. No entanto, ainda sim, Bez e Sussna alegam que permanece uma mentalidade centrada em fases. Betz afirma:

Para cada menção dos termos "iterativo" ou "feedback", existem dez menções aos termos "plano" ou "planejamento". Notadamente, a palavra "experimentar" aparece apenas algumas vezes no volume Estratégia de Serviço e nenhuma outra vez nos volumes restantes.

Segundo Sussna, o ITIL V3:

O ITIL V3 posiciona a Melhoria Continua de Serviço no final de um conjunto de fases incluindo Estratégia de Serviço, Projeto, Transição e Operação. Francamente, fiquei um pouco chocado ao ver uma abordagem tão parecida com cascata.

Betz vê o ITIL descrevendo o pipeline de TI como "grandes lotes de trabalho precisamente planejados, transicionando entre estratégia, desenvolvimento e operações". Betz também avalia que o ITIL acredita fundamentalmente em processos como o principal mecanismo de resolução de problemas e que o risco é mitigado através de planejamento e documentação. Betz associa algumas dessas crenças fundamentais ao fato de que a maioria do ITIL remonta há 10 anos atrás e, portanto, está desatualizado.

O ITIL requer um modelo base melhor da implantação da TI como um sistema sócio-técnico preocupado principalmente com a execução, feedback e fluxo.

Por outro lado, Gene Kim diz que ITIL/ITSM são bastante compatíveis com DevOps:

ITIL e ITSM ainda são melhores codificações dos processos de negócios que sustentam Operações de TI, e descrevem muitas das capacidades necessárias para que Operações de TI possam suportar um fluxo de trabalho no estilo DevOps.

E:

No entanto, o mais importante e que os profissionais de ITSM são excepcionalmente bem preparados para ajudar nas iniciativas de DevOps e criar valor para o negócio.

Kim apresenta vários exemplos em que os profissionais ITIL/ITSM agregam valor. Em um projeto de automação da infra-estrutura, os profissionais de ITSM podem integrar "checklists de gestão de liberação de prontidão, checklists de verificação de proteção de segurança e dentre outros artefatos pré-existentes" ao processo de automação de build. "Mudanças Padronizadas" é um termo ITIL para mudanças frequentes, documentadas, pré-aprovadas e de baixo risco. Profissionais de ITSM podem ajudar a incorporar mudanças padronizadas em implantações automatizadas para produção.

Rob England diverge de Betz, Sussna e Kim. Ele argumenta que ITIL e DevOps estão em desacordo, mas ambos podem ter seu lugar em uma organização de TI. Ele se inspira nos modelos de TI/bimodal e pace layer de Gartner para advogar uma TI de múltiplas velocidades:

  • Conservadora: tradicional, provavelmente cascata, gestão de mudança e operações;
  • Ágil: alguma variante de DevOps.

Segundo England, o negócio deveria decidir que abordagem seguir. Algumas necessidades de negócio bem como e as aplicações que as suportam, precisam de ênfase na inovação e na velocidade de mudança o que é equivalente a dizer que precisam de uma abordagem ágil. Outros negócios precisam de estabilidade e baixo risco, ou seja, demandam uma abordagem conservadora.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

Divergentes by Ricardo Lopes

Acredito que estas são abordagens divergentes, porém é possível que coabitem no mesmo ambiente (equipe), por exemplo, criando um modelo baseado em DevOps para ambiente não produtivos é uma forma de agilizar a entrega contínua e quando for o momento de subir para produção, utilizar o ITIL para garantir a rastreabilidade das alterações.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

1 Dê sua opinião

Faça seu login para melhorar sua experiência com o InfoQ e ter acesso a funcionalidades exclusivas


Esqueci minha senha

Follow

Siga seus tópicos e editores favoritos

Acompanhe e seja notificados sobre as mais importantes novidades do mundo do desenvolvimento de software.

Like

Mais interação, mais personalização

Crie seu próprio feed de novidades escolhendo os tópicos e pessoas que você gostaria de acompanhar.

Notifications

Fique por dentro das novidades!

Configure as notificações e acompanhe as novidades relacionada a tópicos, conteúdos e pessoas de seu interesse

BT