BT

Google entra na disputa pelo mercado de IoT, lançando o beta privado do Cloud IoT Core

| por Kent Weare Seguir 11 Seguidores , traduzido por Eder Ignatowicz Seguir 8 Seguidores em 26 jun 2017. Tempo estimado de leitura: 3 minutos |

Em maio de 2017, a Google anunciou o beta privado da sua nova plataforma de IoT, a Google Cloud IoT Core. Com ela, será possível conectar dispositivos a Google Cloud Platform (GCP) e integrá-los a outros serviços de data analytics (análise de dados). Estes dados podem ser utilizados para prover novas fontes de informação as empresas, gerando melhores resultados comerciais.

Alguns dos cenários de negócio que a Google acredita que se beneficiarão desta plataforma incluem:

  • Serviços podem monitorar, analisar e prever o consumo de energia de um usuário em tempo real;
  • Empresas de transporte e logística podem proativamente posicionar veículos, aeronaves e embarcações de acordo com a demanda;
  • Empresas de manufatura de óleo e gás podem agendar manutenções de forma inteligente, de forma a maximizar a produção e minimizar as paradas técnicas.

Alguns dos desafios apresentados por estas empresas incluem lidar com custos de operação fixo e complexidade de equipamentos legado. Em alguns casos, os equipamentos podem durar anos e até décadas. Além disto, o uso de ferramental tradicional (legado) não permite que as empresas obtenham vantagens dos serviços de cloud computing e invistam em uma análise de dados avançada.

Devido a requisitos técnicos inerentes deste setor, a segurança de sistemas de controle industrial (Industrial Control System - ICS) também se apresenta como um desafio. Muitas soluções de ICS foram comprometidas com vulnerabilidades conhecidas como Conficker e o recente malware WannaCry. Um dos motivos para que estes ambientes sejam vulneráveis deve-se ao fato que o gerenciamento destes dispositivos é muitas vezes complexo. Este é um problema que a Google tenta abordar nesta nova plataforma, garantindo que as organizações tenham um modelo completo de gerenciamento (end-to-end) para todos os dispositivos distribuídos globalmente.

A fragmentação do histórico de registros (historians) é outro problema da indústria que a Google pretende resolver através desta nova plataforma. Devido ao alto volume de dados gerados por equipamentos industriais e o custo e a complexidade de mantê-los, muitos clientes possuem múltiplos silos de dados e somente os armazenam por curtos períodos de tempo. Utilizando o BigQuery, serviço elástico de armazenamento de dados corporativos, os clientes agora poderão delegar a responsabilidade de manutenção destes datasets para a Google.

Os consumidores da plataforma também podem se aproveitar de outros serviços disponíveis na Google Cloud Platform, incluindo o processamento de stream de dados Google Cloud Dataflow, o serviço de mensagens Cloud Pub/Sub e o Google Cloud Machine Learning para modelagem de manutenção preditiva. Para visualização de todos os dados coletados, as organizações podem utilizar soluções de parceiros incluindo Looker, Qlik, Tableau e Zoomdata.

A conectividade ao Google Cloud IoT Core é realizada através do protocolo MQTT (um dos padrões da indústria). Para facilitar a conectividade, a Google fez parceria com diversos fornecedores de dispositivos incluindo a ARM, Intel, Marvel e Sierra Wireless.

Fonte da imagem : https://cloudplatform.googleblog.com/2017/05/introducing-Google-Cloud-IoT-Core-for-securely-connecting-and-managing-IoT-devices-at-scale.html

Uma das primeiras empresas a adotarem o Google Cloud IoT Core é a NOA Technologies, que provê uma plataforma baseada em cloud destinada a gerenciamento de ativos móveis (mobility assets). Jose L. Ugia, VP of engineering, detalha como estão utilizando a plataforma:

Através do Google Cloud IoT Core, foi possível conectar uma grande frota de bicicletas a nuvem. Isto nos possibilitou construir rapidamente uma ferramenta inteligente de gerência de frotas que possibilita oferecer aos usuários uma visão em tempo real da utilização e distribuição das bicicletas, métricas de desempenho e predição de demanda.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião

Faça seu login para melhorar sua experiência com o InfoQ e ter acesso a funcionalidades exclusivas


Esqueci minha senha

Follow

Siga seus tópicos e editores favoritos

Acompanhe e seja notificados sobre as mais importantes novidades do mundo do desenvolvimento de software.

Like

Mais interação, mais personalização

Crie seu próprio feed de novidades escolhendo os tópicos e pessoas que você gostaria de acompanhar.

Notifications

Fique por dentro das novidades!

Configure as notificações e acompanhe as novidades relacionada a tópicos, conteúdos e pessoas de seu interesse

BT