BT

Anunciando o Apache Camel K

| por Marcelo Costa Seguir 42 Seguidores em 05 nov 2018. Tempo estimado de leitura: 2 minutos |

Apenas alguns meses atrás, a comunidade do Apache Camel estava discutindo sobre um novo projeto que poderia iniciar como parte do Apache Camel. Um projeto com o potencial de mudar a forma como as pessoas lidam com integrações. Esse projeto agora é uma realidade e foi batizado de Apache Camel K.

O "K" no título é uma referência óbvia ao Kubernetes. Mas há também uma referência menos óbvia ao Knative, um projeto da comunidade com o objetivo de criar um conjunto comum de blocos de construção para aplicações serverless. Sim, "serverless" é a ideia base que inspirou muitas decisões arquiteturais para o Camel K.

O que é o Camel K

O Apache Camel K é uma plataforma leve de integração na nuvem baseada no framework Apache Camel. Ele é executado nativamente no Kubernetes e Openshift e é projetado especificamente para arquiteturas serverless e de microsserviços. Quando nos referimos a "ele é executado" , nos referimos ao fato de que ele pode ser executado e que já é possível testar. Basta visitar a página do projeto no Github e seguir as instruções.

O Camel K foi construído, se baseando no "pattern operator" e se aproveita do Operator SDK para executar operações nos recursos do Kubernetes (foram definidos alguns recursos personalizados além dos padrões). O operator é escrito em Go enquanto a runtime é baseada em JVM e aproveita todos os mais de 200 componentes já disponíveis no Apache Camel.

O Camel K leva os conceitos de integração para um nível mais elevado, mas ao mesmo tempo é um retorno às raízes do projeto Camel: estamos falando dos Enterprise Integration Patterns (EIP). O Camel foi moldado em torno dos padrões de integração corporativa desde a sua criação e os desenvolvedores criaram uma DSL que frequentemente mapeia padrões em um relacionamento de 1:1.

A idéia básica do Camel K é a de simplesmente: deixar as pessoas usarem esses Enterprise Integration Patterns nativamente no Kubernetes, expressando estes padrões utilizando a potente DSL do Camel.

Nicola Ferraro publicou recentemente um artigo em seu blog pessoal a respeito do Camel K com alguns exemplos e mais detalhes sobre este novo produto.

Existem muitas coisas chegando e os desenvolvedores mantém atualizada a seção de projetos no repositório do GitHub com as áreas atuais em que estão trabalhando. Esses projetos incluem o trabalho já mencionado no Knative e também uma interface Web para o Camel K que pretende ser um diferencial muito competitivo para esta solução.

Se você estiver interessado no projeto, há muitas maneiras de contribuir, acesse a página do projeto no GitHub e participe.

O grupo também possui uma sala dedicada no Gitter para prestar mais informações.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião
BT