BT

Início Notícias Como ser criativo e manter o foco na era da distração digital

Como ser criativo e manter o foco na era da distração digital

Favoritos

A utilização de dispositivos digitais tem um forte impacto em nossas habilidades cognitivas. As principais habilidades impactadas são a criatividade e o foco. Ambas são muito requeridas nos empregos do futuro e são muito influenciadas por nossos hábitos digitais, afirma Monica Bormetti, que palestrou na Agile Business Day 2019 sobre foco e criatividade na era da distração.

Sobre criatividade, Bormetti refere à habilidade de encontrar soluções inovadoras e conectar coisas não relacionadas, ao invés de uma capacidade artísticas como por exemplo ser um bom pintor. Segundo Bormetti, a maioria dos trabalhos requer uma dose de criatividade, especialmente com o fato de que mais e mais trabalhos simples serão automatizados. Se temos a intenção de preservar nossa posição no mercado é necessário melhorar nossas habilidades humanas, argumenta Bormetti.

Frequentemente ouve-se falar que criatividade é uma habilidade nata, a qual alguns de nós tem e outros não. "De fato, isso não é verdade" de acordo com Bormetti "é possível treinar todas as as habilidades cognitivas, incluindo desenvolver a criatividade".

É importante preservar momentos relaxantes e sem fazer nada durante os dias, porque são nesses momentos que o cérebro fica disponível para fazer conexões entre coisas não relacionadas e encontrar insights interessantes. Em geral esses processos são levemente reduzidos pela maneira a qual utilizamos os dispositivos digitais, preenchendo todo o tempo ocioso em nossos dias, como por exemplo verificar notificações e ler as últimas notícias enquanto esperamos o ônibus, esse simples ato tira a chance de deixar nossa mente vagar durante poucos minutos, afirma Bormetti.

Algo muito parecido acontece como o foco explica Bormetti:

É importante pensar que o cérebro é um músculo que reforça os caminhos neurais quanto mais é utilizado. Isso significa que, se nos treinarmos constantemente a ser distraídos por nossas notificações, haverá resistência cerebral em manter o foco, e o resultado é que encontraremos outras maneiras de nos distrair, pois não conseguimos mais nos concentrar.

Bormetti menciona que é possível treinar nosso cérebro para melhorar a concentração, mantendo nossa atenção focada em algo que queremos fazer.

O InfoQ entrevistou Monica Bormetti, logo após sua palestra no Agile Business Day 2019 , sobre como o trabalho em modo multitarefa drena nossas habilidades cognitivas, como limitar a distração e o que podemos fazer para nos tornar mais conscientes sobre o uso da tecnologia em nosso trabalho.

InfoQ: Como trabalhar no modo multitarefas drena nossas habilidades cognitivas?

Monica Bormetti: Nosso cérebro não foi criado para trabalhar no modo multitarefas, nem mesmo para as mulheres, infelizmente. Pesquisas revelam que apenas 2% de toda a população é capaz de conduzir multitarefas efetivamente. Para os demais, quando tentamos seguir com multitarefas geralmente há um desperdício de tempo e energia. É possível conduzir duas atividades ao mesmo tempo apenas quando uma delas exige muito mais nossa atenção do que a outra, apenas dessa forma é possível fazer a divisão da atenção. Porém multitarefas não são um caminho eficiente especialmente no trabalho. Teste a si mesmo: Calcule seu tempo enquanto conta de 1 a 10 e depois as letras de A a J. Em um segundo momento, calcule o tempo quando misturar essas duas categorias: 1-A, 2-B, etc. será gasto mais tempo na segunda tarefa, apenas porque precisamos mudar de um conteúdo para outro.

InfoQ: O que deve-se mudar no comportamento para limitar a distração, tanto para nós mesmos como para colegas de trabalho?

Bormetti: Há algumas pequenas coisas porém eficazes as quais podemos fazer em nosso dia a dia no trabalho para melhorar a concentração e limitar a distração.

Segue algumas sugestões:

  1. Gerenciar notificações: Sugiro desligar todas as notificações, esperar alguns dias, e apenas ligue novamente aquelas as quais você realmente sentiu falta e precisou.
  2. Escolha horários específicos para verificar emails: geralmente tudo no trabalho pode esperar algumas horas para ser respondido, não permita que outras pessoas escolham quando você deve dedicar tempo à sua caixa de entrada. Defina seu próprio tempo.
  3. Utilize um sinal de "Não perturbe" na sua mesa, é possível se proteger de colegas inoportunos utilizando uma placa de papel.
  4. Organize as telas do desktop e dispositivos móveis: as pessoas não são capazes de resistir às tentações, portanto, esconda todas as distrações digitais (mídia social, aplicativos de mensagens, jogos).
  5. Modo não perturbe: defina horários de trabalho curtos, mas muito focados, ao longo do dia.

Sugestões para equipes:

  1. Não se conectar a internet durante uma reunião: as principais fontes de distração durante as reuniões incluem notificações, mais e mais funcionários sentem que estão perdendo tempo com tantas reuniões. Que devem ser mais curtas, e sem distrações.
  2. Regras claras e específicas nos serviços de mensagens instantâneas (por exemplo, Slack): todo membro da equipe precisa pensar no custo benefício para o destinatário antes de enviar uma mensagem.
  3. Limite o envio de comunicações (e-mails, documentos, comentários, bate-papos) o máximo que puder: tente escrever da maneira mais eficaz possível, diminuindo o número de comunicações que você envia e também encurtando-as (escrita efetiva)

InfoQ: Como as pessoas podem tornar-se mais conscientes sobre o uso da tecnologia em seu ambiente de trabalho?

Bormetti: O primeiro passo para nos tornarmos mais conscientes é nos observarmos e tomar consciência de nossos hábitos digitais. O download de um aplicativo de rastreamento (por exemplo: Moment, Quality Time, Space) em nossos dispositivos móveis ajuda a obter uma imagem clara da quantidade e qualidade de nosso uso. Isso é muito útil para dispositivos móveis, principalmente porque os temos em mãos o tempo todo e, muitas vezes, não sabemos como e quando os usamos.

Da mesma forma, podemos fazer algumas perguntas para entender em que situações somos viciados em nossos dispositivos digitais no trabalho. Por exemplo, entender o efeito das notificações de aplicativos de mensagens instantâneas, e-mail ou notícias nos torna mais conscientes de como podemos melhorar nossa vida digital.

Em geral, um uso positivo da tecnologia, especialmente no trabalho, requer o uso intencional. Quando estamos 100% conscientes da maneira como investimos nosso tempo online, podemos dizer que somos efetivamente donos desse tempo, e isso é bom. O problema é quando abrimos nossa caixa de entrada para verificar um e-mail e, depois de uma hora, ainda estamos verificando o restante dos e-mails que recebemos e, no final do dia, sentimos que desperdiçamos tempo.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Comentários da comunidade

  • Música enquanto programa

    by Matteus Barbosa /

    Seu comentário está aguardando aprovação dos moderadores. Obrigado por participar da discussão!

    O texto só me faz reforçar uma teoria própria de que ouvir música enquanto trabalha com código só atrapalha o raciocínio e a solução de problemas. Talvez apenas um instrumental sirva como inspiração, já que a letra nos remete a momentos de lazer ou de relaxamento que não são pertinentes ao momento do trabalho.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

BT

Seu cadastro no InfoQ está atualizado? Poderia rever suas informações?

Nota: se você alterar seu email, receberá uma mensagem de confirmação

Nome da empresa:
Cargo/papel na empresa:
Tamanho da empresa:
País:
Estado:
Você vai receber um email para validação do novo endereço. Esta janela pop-up fechará em instantes.