BT

Formando equipes de alto desempenho, parte 4: A produtividade aparece

Postado por Alércio Bressano em 26 Abr 2012 |

Nesta quarta parte da série sobre equipes de alto desempenho, abordaremos como identificar os acontecimentos em uma equipe que sai da turbulenta fase de Conflitos e entra, então, na fase de Normatização. Na fase de Normatização a equipe evolui na maneira de trabalhar e melhores resultados começam a aparecer.

As pessoas que entram na fase de Normatização descobrem agora que a transparência, que antes foi uma fonte geradora de conflitos, serviu também para evidenciar a preocupação e o foco da equipe no resultado do trabalho. Com isso, a equipe percebe que as divergências devem ser resolvidas e que acabam contribuindo para um produto melhor.

Outro avanço conquistado na fase de Normatização é a dedicação da equipe às cerimônias Scrum. Vejamos como:

Foco nas entregas

Na reunião de planejamento (Sprint Planning), a equipe começa a perceber que é fundamental a atenção de todos no entendimento do produto. A equipe determina que precisa registrar as informações mais importantes e consolidar uma visão clara sobre como poderá construir a demanda. Cada membro, desta forma, passa a estimar melhor o esforço de desenvolvimento, pois conhecem o desempenho uns dos outros e o quanto é possível realizarem juntos.

Com o planejamento feito a equipe passa para a execução do sprint e procura explorar melhor as reuniões diárias (daily meeting) para a microgestão do projeto. É na reunião diária que se observa o progresso das atividades e se as metas propostas ainda são válidas e alcançáveis.

Chegando o momento da entrega dos resultados do sprint (Sprint Review), todos definem a melhor forma de homologar o produto com o cliente. A equipe está preparada para ouvir os feedback do trabalho realizado, que podem ser tanto comentários positivos quanto negativos, recebendo as críticas de forma construtiva e como uma oportunidade para entender melhor as expectativas do cliente.

O elogio é visto como o reconhecimento da dedicação e do esforço conjunto, pois, como o resultado é único, a valorização é coletiva.

Na retrospectiva do sprint finalizado (Sprint Retrospective), principalmente quando a equipe atingiu a fase de Normatização no processo de formação de equipes, busca-se ouvir e refletir sobre o que cada membro acredita ter sido positivo e o que tem sido danoso ao progresso dos trabalhos. É uma oportunidade de avaliar se as ações definidas na retrospectiva passada foram executadas e se surtiu o efeito desejado. A equipe percebe que as diferenças de pensamento e atitudes são úteis para a evolução do trabalho em equipe.

Resultados aparecendo...

O gráfico abaixo apresenta o resultado de uma equipe em formação do sprint 008 até o sprint 018. O gráfico apresenta o percentual entre o que foi planejado e o que foi entregue tendo no sprint 008, por exemplo, 89% entregue do que fora planejado.

Podemos observar que a variação de resultados do sprint 008 ao 013 demonstra que a equipe está no estágio 2, que é a fase em que se descobre a forma ideal de entregar o que foi combinado. No sprint 014, a equipe conseguiu entregar 100% do prometido e os resultados seguintes (até o sprint 018) demonstram uma assertividade maior entre o que foi planejado e o que foi entregue.

No sprint 015 acontece até mesmo um fato curioso: a equipe entregou mais do que tinha sido planejado. A equipe coloca "em xeque" a Lei de Parkinson que diz que "o trabalho se expande até preencher todo o tempo disponível".

Portanto, durante 5 ciclos, a equipe entrega o que foi combinado, demonstrando que as técnicas amadurecidas e a formação da equipe estão dando resultado e melhorando a produtividade. A satisfação com o trabalho, a valorização dos resultados percebida pelo cliente e a maior confiança na equipe, são alguns dos benefícios da fase de Normatização.

Conclusões

Podemos concluir que o estágio 3 de maturidade de uma equipe é caracterizado pela saída da fase de turbulência e conflitos e a entrada numa fase de produtividade conquistada através da sinergia obtida com as atividades realizadas em conjunto. Todos começam a perceber que o resultado depende da iniciativa de cada um e da execução coletiva.

Na próxima e última parte desta série, será discutido de que forma a equipe chega ao estágio máximo de produtividade (estágio 4 de maturidade), quais são as evidências que demonstram a chegada nesse último estágio e de que forma o líder deve conduzir o processo tirando a equipe de uma aparente zona de conforto.


Sobre o autor

Alércio Bressano (@alercio) é consultor e coach em Agile, Professor Universitário e Mentor em Produtividade Pessoal. É Diretor de Marketing e Comunicação do chapter do PMI em Sergipe, e desde 1999 trabalha com projetos de tecnologia. Atua como Gerente de Projetos e/ou Scrum Master em empresas de diversos ramos de negócio, fornecendo coaching na implementação de métodos de gerenciamento de projetos e formação de equipes.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião
Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
Marketing
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2016 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT

We notice you’re using an ad blocker

We understand why you use ad blockers. However to keep InfoQ free we need your support. InfoQ will not provide your data to third parties without individual opt-in consent. We only work with advertisers relevant to our readers. Please consider whitelisting us.