BT

Início Notícias Transformação Lean e Ágil no Banco Português de Investimentos

Transformação Lean e Ágil no Banco Português de Investimentos

Favoritos

Após a adoção do Scrum, o Banco BPI, um dos principais bancos privados de Portugal, adotou práticas Lean de forma iterativa, fazendo as coisas que tinham sentido em seu contexto. Com o objetivo de aproximar as partes para otimizar todo o sistema e evitar micro-otimizações. Seu próprio contexto e necessidades devem orientá-lo; Não esperar para ter a resposta perfeita, mas realizar iterações implacáveis e dar pequenos passos é o que eles aprenderam.

João Miranda, vice-diretor de engenharia, e Bruno Teixeira, gerente de projetos, falaram sobre a transformação Lean e Ágil do Banco BPI no Lean Digital Summit 2018.

O Banco BPI começou com ágil no final de 2009, quando adotou o Scrum. Ao longo dos anos, todo o desenvolvimento, desde equipes de mainframe até equipes de tecnologia de ponta, adotaram o Scrum. Cerca de três anos atrás eles começaram seus projetos de transformação digital.

As demandas de projetos de transformação digital são enormes, então eles criaram "Business Moments". Como afirmou Miranda: "Eles têm um prazo de seis meses, com equipes de desenvolvimento focadas e o envolvimento de todos os departamentos relevantes do banco, para tomar as decisões rápidas que exigem a entrega de uma solução omnichannel completa em um período de tempo tão curto".

Um exemplo de um projeto de transformação digital é a solução de empréstimo pessoal, que está disponível por meio de sua rede de agências, aplicativo móvel e canais homebanking. Este projeto foi feito com uma equipe de seis pessoas em seis meses, disse Teixeira.

A gestão da demanda é a chave, argumentou Miranda. Se você tem vários clientes competindo pelas mesmas equipes de desenvolvimento, você precisa ter um processo claro e transparente para obter um acordo entre todos, disse ele.

O infoQ entrevistou Miranda e Teixeira sobre a transformação Lean e Ágil no Banco BPI.

InfoQ: O que fez o Banco BPI optar por combinar Ágil e Lean?

João Miranda / Bruno Teixeira: Decidimos mudar para uma abordagem ágil no final de 2009. Adotamos o Scrum naquela época e então é a base do nosso processo de desenvolvimento até hoje. Desde o início, fizemos nosso próprio caminho e fizemos inúmeras mudanças em nossos processos, realizando experimentos e aprendendo o que funcionou e o que não funcionou, dentro de nosso próprio contexto.

Por exemplo, ao longo do caminho, notamos a importância de tornar o fluxo de trabalho de solicitação a entrega explícito e visível para todos, incluindo partes interessadas, com políticas para cada estágio. Aprendemos a manter o tamanho do backlog e o trabalho em andamento sob controle. Começamos a medir o número de recursos que entregamos. Em termos Lean, mapeamos todos os fluxos de valor, tornamos o trabalho visível, começamos a gerenciar o trabalho em andamento e usamos throughput como um indicador-chave. Nós apenas não usamos esses termos, chegamos a nos inclinar de uma maneira iterativa, fazendo coisas que faziam sentido em nosso contexto.

Em 2018, estamos levando essa abordagem mais longe e tornando o Lean mais explícito. Estamos medindo coisas como o tempo de ciclo ou o tempo ocioso de cada solicitação. Estamos procurando maneiras de otimizar todo o fluxo de valor, mesmo aqueles estágios que tradicionalmente não vemos como a competência das equipes de desenvolvimento. Nosso objetivo é aproximar todas as partes para que possamos otimizar todo o sistema e evitar micro-otimizações.

InfoQ: Como vocês começaram a transformação no Banco BPI?

Miranda e Teixeira: As primeiras equipes a adotarem métodos ágeis receberam projetos estratégicos. A ferramenta de gerenciamento era uma planilha - reconhecidamente sofisticada. Nosso foco completo não estava na ferramenta, mas em mudar a maneira como construímos o software. Reunimos negócios e TI para construir as primeiras equipes. Para dar o pontapé inicial e sustentar essa transformação profunda, foi crucial ter o apoio total de cima para baixo, bem como alguns entusiastas dentro das equipes. Como dissemos anteriormente, fizemos essas alterações internamente, sem consultores externos.

Um fato curioso, que pode parecer contra-intuitivo no início, é que a pressão regulatória e a meta de sermos certificados CMMI - somos o único banco em Portugal a ter todas as equipes de desenvolvimento certificadas CMMI - nos ajudaram a incorporar princípios ágeis à maneira como trabalhamos. Para manter nossa agilidade diante de pressões regulatórias que podem facilmente levá-lo a um mundo burocrático de papéis, alavancamos o processo de certificação CMMI para codificar nossos processos, incluindo sua própria melhoria contínua. Nós os incorporamos o máximo possível dentro de nossa própria ferramenta de gerenciamento ágil personalizada. Isso foi fundamental para que nossos processos conduzissem a ferramenta e não o contrário. Isso nos permitiu dimensionar e alterar conforme necessário.

InfoQ: Quais benefícios a transformação Lean e Ágil proporcionou?

Miranda e Teixeira: Os benefícios são numerosos. Como regra geral, as solicitações de negócios são muito menores do que no passado, então podemos entregar valor muito mais rápido. Estamos orgulhosos de ser extremamente transparentes. Por exemplo, cada stakeholder pode conhecer o estado de cada solicitação, quais equipes estão envolvidas e a data de entrega provável. As prioridades são definidas com a contribuição de stakeholders relevantes nas reuniões mensais. Podemos mudar de rumo facilmente, por isso somos muito mais receptivos às necessidades de mudança de negócios do que antes.

Os processos ágeis e de engenharia que construímos - e estamos construindo! - nos ajudou não apenas a sermos mais receptivos aos negócios, mas também a atender às crescentes demandas regulatórias.

InfoQ: O que vocês aprenderam?

Miranda e Teixeira: Conheça sua teoria e aprenda o que os outros estão fazendo, mas deixe que o seu próprio contexto e necessidades o guiem. Você deve tomar as decisões que afetam você. Não espere para ter a resposta perfeita. Iterar implacavelmente. Dê pequenos passos, sempre.

Construir sua própria ferramenta de gerenciamento pode ajudar. Começamos com uma planilha e passamos para várias iterações de nossa própria ferramenta de propósito. Mas isso é outra história.

Comece hoje, não amanhã.

Avalie esse artigo

Relevância
Estilo/Redação

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

BT

Seu cadastro no InfoQ está atualizado? Poderia rever suas informações?

Nota: se você alterar seu email, receberá uma mensagem de confirmação

Nome da empresa:
Cargo/papel na empresa:
Tamanho da empresa:
País:
Estado:
Você vai receber um email para validação do novo endereço. Esta janela pop-up fechará em instantes.