BT
x A sua opinião é importante! Por favor preencha a pesquisa do InfoQ sobre os seus hábitos de leitura!

Palestra: Uma introdução ao M

por Abel Avram , traduzido por Felipe Rodrigues em 31 Out 2008 |

Durante o PDC 2008, David Langworthy, Arquiteto na Microsoft e Don Box, Distinguished Engineer na Microsoft, conduziram uma apresentação sobre Oslo, focando especialmente na linguagem de modelagem M, explicando o que é e o que não é e também demonstrando como usar M para cria um modelo de dados.

De acordo com Don, Oslo é constituida pelos seguintes componentes:

  • M Language - uma linguagem de modelagem
  • Quadrant - uma ferramenta de modelagem
  • Repository - um modelo de armazenamento

Don explica que eles escolheram uma linguagem de modelagem porque eles queriam oferecer uma ferramenta de design que permita trabalhar com modelos textuais. M permite alguém criar um modelo digitando, da mesma forma que criaria um programa em outras linguagens.

De acordo com Don, M é:

  • “M” é uma linguagem para definir modelos de domínio e domain-specific languages(DSL) textuais.
  • O modelo de domínio de M define schema e queries sobre daods estruturados
       Values, Constraints, e Views
       Projeção natural para SQL
  • M DSLs definem projeções para texto Unicode para dados estruturados
       Transformação baseada em Regras
      Integração com editor de texto orientado a gramática

"M é sobre capturar, esquematizar e transformar dados", diz Don. M oferece apenas uma representação de dados, não possue comportamente relacionado aos dados, por isso não há polimorfismo. Tipagem é feita por tipagem estrutural, da forma que os dados estão estruturados.

M não é uma linguagem OOP. M não é uma tecnologia de acesso a dados. Enquanto todos os dados podem ser transportados de/para um banco de dados, M não é uma solução OLTP e não é um substituto de T-SQL.

em uma demonstração ao vivo, David cria um modelo de dados, armazena os dados em um banco de dados e retorna os dados do banco. Ele mostra algumas características da linguagem, como constraints, identity, value types, funções e outros.

Você pode fazer o download do Oslo SDK a partir do MSDN.

 

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

Tendência by André Faria

Acho que DSLs são uma grande tendência para os próximos anos. E OSLO parece interessante e ainda mais agora que tem gente muita boa envolvida com isso o négocio deve decolar.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

1 Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT