BT

Escalando Scrum sem o Scrum of Scrums

por Chris Sims , traduzido por Flávia Castro de Oliveira em 17 Dez 2008 |

O Scrum tem mostrado eficiência em promover comunicação entre os membros de um time de desenvolvimento. A questão de como escalar esta comunicação de banda larga através dos times, especialmente em grandes organizações, continua sendo uma área de exploração ativa e debate. Will Read propôs uma alternativa inspirada em uma redes mesh à popular reunião Scrum-of-Scrums para alcançar esse objetivo.

Will afirma que a Scrum of Scrums cria uma rede de comunicação hierarquica, com formato de árvore. As pessoas são os criadores e consumidores da informação no sistema, e elas são as folhas da árvore. Esta estrutura funciona razoavelmente bem para desenhar e disseminar informações de um ponto central de control. No entanto, isto pode não ser a melhor maneira de coordenar o trabalho dos desenvolvedores. O tipo de informação que os desenvolvedores individuais precisam saber é dificilmente é transmitido para cima e para baixo na árvore efetivamente.

Jim precisa saber sobre a nova API de Logging para que ele não tenha que escrever sua própria API. Bob precisa saber que Sue tem um problema com os parâmetros sendo passados para a sua função porque ela não esperava receber NULL. Dave precisa saber que ele precisa fazer um upgrade nos servidores Linux para a última Java VM e assim corrigir um bug que Mark encontrou, e o novo empregado, Mindy, precisa descobrir de onde baixar as DLLs que ele precisa.

Este tipo de informação é mais provável de fluir através de uma rede mesh onde as pessoas e os times conectam uns com os outros em uma base mais ad-hoc e conforme necessário. A questão então é, como pode uma empresa faz fluir uma rede mesh que promove este tipo de informação? Participação constante nas stand-up meeting diárias é uma abordagem. Se dois ou mais times frequentemente trabalham no mesmo código, ou não são interdependêntes, então faz sentido permitir que os membros participem das stand-up meeting de um time relacionado. Também sugiro algumas abordagens adicionais:

  • Promover e facilitar o auto-gerenciamento da rede
  • Atribuir as características relacionadas para fixar os times de maneira que eles promovam a conexão do mesh
  • Definir um off-site para os times que não trabalham frequentemente juntos
  • Identificar os roteadores naturais, e promover a comunicação através dos roteadores
  • Considerar as pessoas que se movem entre os times que tem conexões mais fortes

Will descreve o benefício deste tipo de comunicação da seguinte maneira:

Através da Rede Mesh, uma empresa que pode construir uma estrutura de comunicação muito mais adaptiva que dissemina conhecimento mais confiável, tem menor risco de falha de comunicação e trata o problema de banda limitada de forma que escala para qualquer tamanho de empresa. Melhor de tudo, ele se encaixa com os princípios Ágeis de auto-organizar e eliminar a sujeira de maneira que valorize o seu negócio.

Como descrito, a rede mesh é concebida para construir um fluxo de informação entre os desenvolvedores e não relatório de status para os gerentes. Por isso, a árvore aninda pode ser o método preferido, embora a largura de banda necessária será reduzida se o foco dessa comunicação se manter entre status, progresso e prioridades.

Como os times de Scrum da sua empresa se comunicam uns com os outros? Quão bem eles trabalham? Como poderiam melhorar? Deixe um comentário e compartilhe sua opinião com a comunidade.

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT