BT

Recebendo novatos em projetos Ágeis Grandes

por Mike Bria , traduzido por Felipe Rodrigues em 20 Abr 2009 |

Uma vantagem que os times ágeis possuem é que levar novos membros a produzir bem pode ocorrer de uma forma mais natural e eficiente do que quando as pessoas estão trabalhando em um mundo rígido estilo waterfall. Isso é particularmente verdade se o time for co-localizado, com comunicação freqüente e eficiente, trabalhando em pequenos incrementos estórias e especialmente quando usar pair-programming.

Em um artigo recente, Anand Vishwanath concorda com isso, declarando que para a maioria dos projetos médio e pequenos, novos membros podem se integrar a um time ágil sem muita cerimônia, mas acha que projetos maiores requerem algo a mais. Ele sugere aos projetos grandes que usar uma simulação em "menor escala" pode ser a melhor abordagem para introduzir um novato no time. Em suma, "manter um grupo de 4 a 6 novatos em lote de integração" e fazer com que eles executem algumas mini-iteração durante 1 a 2 semanas com a ajuda de mentores mais experientes.

Vishwanath ressalta que o componente mais importante do processo de integração é a presença de mentores capazes de guiar os recém chegados durante a simulação. Ele declara que dentre este mentores devem estar:

  • Um Desenvolvedor Mentor, que seja um desenvolvedor "Expert" capaz de ajudar aos novatos a entender a base de código e o domínio do projeto. Esta pessoa irá trabalhar full-time na simulação, fazendo par com os novatos e conduzindo discussões de aprendizado.
  • Um Analista de Negócios Mentor, trabalhando part-time na simulação para atuar como o cliente para os desenvolvedores, assim como conduzir Analistas novatos se eles existirem.
  • Um Analista de Qualidade Mentor, também trabalhando part-time para ajudar com as atividades e aprendizado relacionados à qualidade do software.

Vishwanath discute como essa simulação irá operar como uma iteração atual (ou até mesmo mais de uma), incluindo uma reunião de planejamento de iteração, demonstração de fim de iteração e retrospectiva e qualquer outra etapa que seu projeto aplique é possível.

Vishwanath dá a direção para apresentar o grupo com uma variedade de estórias na iteração simulada. Por exemplo, ele sugere incluir algumas estórias funcionais simples e também guardar espaço para algumas "estórias de refactoring" que sejam totalmente técnicas por natureza para dar aos novatos uma boa chance para realmente se infiltrar no código e arquitetura do projeto.

Vishwanath também dá algumas sugestões sobre como coletar artefatos da simulação que pode ser utilizados em futuras simulações. Por exemplo, ele destaca que gravar vídeos das sessões da simulação, assim como aprendizados destacados nas retrospectivas.

Se este rápido resumo soa interessante a você, dê uma olhada no artigo do Vishwanath. Essa te parece uma boa abordagem? Conhecendo o seu ambiente, isso é cogitável para você? Você tem algo similar? Se sim, qual é o resultado?

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão
Comentários da comunidade

Mentores by André Faria

Muito boa a dica dos mentores, acho que eles se revelam mesmo de forma natural nas equipes e são de extrema importância para a rápida adaptação dos novatos a equipe.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

1 Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2013 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT