BT

A certificação Scrum está passando por outra reformulação?

por Vikas Hazrati , traduzido por Gisela Nogueira em 19 Fev 2010 |

As certificações de Scrum sempre geraram grandes discussões. Uma dessas discussões tem a ver com o valor pessoal da certificação na qual surgiram comentários do tipo "Pague as mensalidades, assista a aula por alguns dias, e você passou." ou até comentários de pessoas renomadas como o de Scott Ambler no seu artigo na Dr.Dobb's Magazine.

A Scrum Alliance continua a embaraçar-se, e, em menor medida a comunidade ágil como um todo, com a continuidade do programa de Certified Scrum Master (CSM).

Posteriormente, um novo formato foi planejado, o que também não conseguiu entusiasmar os agilistas que eram contra a filosofia dessa certificação. Mike Cottmeyer, disse recentemente que o Scrum não é prescritivo, portanto, não há nenhuma forma definitiva para certificar pessoas sobre a forma de praticá-lo. Ele disse:

Scrum não pode ser um framework simples não prescritivo, que em seguida, começa a certificar as pessoas sobre como fazer todas as coisas.

Segundo Mike, Scrum não diz a uma pessoa como ser um bom engenheiro de software, um bom testador, analista de negócios, ou mesmo um bom ScrumMaster. Essas habilidades são responsabilidade dos próprios profissionais e não do Scrum. Ele mencionou a necessidade de uma base de conhecimento - body of knowledge (BOK) - definitiva.

Se Scrum é um framework simples ... se é tão claro e preciso que nós podemos falar sobre Scrum-But e apontar as pessoas que não estão fazendo certo ... onde está a base de conhecimento definitiva? Onde está o conjunto de documentos das coisas que são aceitáveis na maioria dos projetos Scrum na maior parte do tempo? Como posso saber a diferença entre distorcer o Scrum para esconder minhas disfunções ou não? Quem decide? Eu supostamente devo saber quando eu vejo isso?

Comentando o que Mike Cottmeyer disse, Niels Verdonk complementou dizendo recentemente que passou por um curso de CSM no qual ele compartilhou o sentimento de que seria difícil confiar em equipes recém certificadas com o titulo de Scrum Masters, dizendo:

Com todo o respeito, eu não confiaria nossos times em muitos desses recém Scrum Masters.

Niels mencionou uma discussão que teve com Mike Cohn, em que ele [Mike Cohn] concordou que o termo Certified Scrum Master foi mal escolhido na época. Niels acrescentou:

Ele [Mike Cohn] compartilhou comigo que irá anunciar uma mudança nos nomes dos programas de certificação. Ele achava que o nome Certified Scrum Master era um nome herdado e parece muito forte para o que realmente era. A escolha para o novo nome ainda não tinha sido feita. Ele me contou que o novo nome para a Certified Scrum Practitioner seria Certified Scrum Professional. Acho que algo que a Scrum Alliance está consciente que algo não está certo e estão se empenhando em reparar o erro. Parece ser um ato pensado, dado o fato de que Ken Schwaber recentemente deixou o Scrum Alliance sobre uma diferença de opinião sobre os programas de certificação.

Tom Mellor, um membro do conselho da Scrum Alliance citou que Ken Schwaber "nunca planejou que o curso fosse para ensinar pessoas a serem ScrumMasters; ele queria que as pessoas entendessem ("master") os conceitos, princípios, e regras do Scrum." Então, vamos ver em breve uma nova aborgadem? Ou, como Mike Cottmeyer colocou:

Eu simplesmente não posso pensar sobre certificar alguém em qualquer coisa sem ao menos ter uma definição geral sobre o que estamos nos certificando. Na ausência de algum tipo de padrão, "Certified Scrum" de qualquer coisa é apenas um truque de marketing

Mas será que essas reformulações são a resposta para essa questão, além da nova prova de certificação em vigor desde outubro do ano passado? Para Scott Ambler, o problema é mais profundo que isso, conforme colocou em seu artigo.

A Scrum Alliance está trabalhando em uma nova certificação com um pouco de conteúdo por trás, no entanto, na minha opinião, eles perderam a moral para fazê-lo a muito tempo atrás. As pessoas envolvidas com a Scrum Alliance optaram anos atrás por operar o programa existente de certificação e tiveram tempo suficiente para abordar as questões éticas em torno dele. Ética é uma reflexão consciente das escolhas que você faz, e a Scrum Alliance claramente fez as suas escolhas.

A comunidade ágil do Brasil também é uma das que concorda com a opinião de Scott Amber e que não vê um grande valor na certificação. Consultorias brasileiras como a ImproveIt possuem em seu site uma página dizendo sobre o valor da certificação onde a mesma diz:

Cursos de certificação. Eles são ótimos. Mas, se você for fazê-los, não faça pelo certificado, pois a validade do mesmo é, no mínimo, muito discutível.

A lista de discussão scrum-brasil teve um grande debate sobre o real valor da certficação de Scrum Master. Contando com nomes conhecidos da comunidade ágil como Philip Calçado, Rodrigo Yoshima e Alexandre Magno, essa discussão levou a opiniões controversas às críticas que estão sendo realizadas sobre essa certificação, uma dessas opiniões é a de Rodrigo Yoshima, que diz:

Depois que o nosso amigo Scott Ambler pixou essa certificação todo mundo passou a pixar. Beleza, certificação é uma coisa que de fato não certifica muita coisa, mas isso vale tanto para certificação CSM como para qualquer outra.

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

CSM - Ser ou nao ser by Thiago Valente

Concordo com o que o Rodrigo disse. Certificação, de qualquer tipo, nao prova nada.
Voce pode decorar um assunto, ir la, fazer a prova e sair dizendo que é certificado.

Fiz o curso de CSM e me orgulho em dizer que sou certificado, o que pra mim, significa que tenho interesse pelo assunto. Nao que sei mais que ninguem, apenas que me interessei pelo assunto, estudei (continuo estudando) e buscando aprender mais a cada dia.

Re: CSM - Ser ou nao ser by Rafael Marques

"Fiz o curso de CSM e me orgulho em dizer que sou certificado, o que pra mim, significa que tenho interesse pelo assunto. Nao que sei mais que ninguem, apenas que me interessei pelo assunto, estudei (continuo estudando) e buscando aprender mais a cada dia. "

mas essa é a idéia de tirar uma certificação... o problema não está em quem é certificado, o problema são as empresas super-valorizarem algo que não prova necessariamente se alguém é bom em um assunto ou não. E por se tornar algo super-valorizado a nível de mercado, surgem os oportunistas que decoram testkillers e materiais afins e se tornam certificados sem mérito algum.

Re: CSM - Ser ou nao ser by Lennon Jesus

Eu fiz o curso e "ganhei" a certificação.
Beleza...
Isso prova que me interessei pelo assunto. Não muito mais que isso.

Mas e aí?

Onde está escrito que apliquei meus conhecimentos?
E mais: Obtive sucesso? Mantive o Scrum funcionando ou fui mais um "líder" de meia tigela mandando e desmandando em nome do Scrum?

Eu fiz o curso para ter (mais) contato com pessoas com o mesmo interesse (já que na minha empresa eram muito poucas).

Me interessei por ser certificado para tentar arranjar espaço para as metodologias ágeis dentro da empresa em que trabalho.

É como já foi dito... nada está provado só por causa de uma certificado.

E nada melhor do que a vivência do dia-a-dia de projetos caóticos para te fazer crescer e aprender.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

3 Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT