BT

Dívida técnica custa 3.6 dólares por linha de código, segundo a CAST Software

por Christopher Goldsbury , traduzido por Eder Ignatowicz em 15 Mar 2012 |

Uma série de posts no blog de Jonathan Bloom da CAST software, resumiu o relatório de sua empresa referente à dívida técnica. Este é o segundo ano em que a CAST produziu este tipo de relatório. Os dados de 2012 foram compilados a partir de 160 empresas diferentes, de uma variedade de indústrias. O número total de sistemas estudados foi 745, representando um agregado de 365 milhões de linhas de código.

Entre os principais resultados apresentados no relatório podemos destacar:

  • A CAST estima que a atualmente a dívida técnica custe às empresas 3.61 dólares (cerca de 6,50 reais) a cada linha de código.
  • Mais de 35% dos itens apontados como de dívida técnica resultam em impacto negativo nos negócios, comprometendo segurança, performance e disponibilidade.
  • Aplicações desenvolvidas através de contratações externas não apresentam diferenças substanciais em relação à sua qualidade estutural, quando comparadas às desenvolvidas internamente nas empresas. O mesmo é verdade na comparação entre desenvolvimento local e o terceirizado para outros países.
  • As aplicações baseadas em Java EE predominam entre as estudadas; quando comparadas às em outras linguagens e plataformas, receberam notas inferiores em desempenho e apresentaram maior dívida técnica.
  • O aumento de modularidade ameniza o impacto do tamanho das aplicações sobre a qualidade interna.
  • Aplicações em COBOL foram avaliadas pelo relatório como as mais seguras, enquanto as aplicações .NET aparecem como as mais vulneráveis.
  • Sistemas governamentais tendem a ter a menor facilidade de manutenção.
  • Quanto mais frequentemente são liberados novos releases, maior é a dívida técnica.

Analistas do Gartner também analisaram este problema e detectaram um problema crescente de dívida técnica nas organizações. David Norton escreveu um post em seu blog, onde compara o problema a uma bomba relógio, que pode ser ignorada por um determinado período de tempo, mas que fatalmente causará graves danos a organização, se não tratada apropriadamente.

A CAST e outros especialistas na área recomendam que as organizações contabilizem a dívida técnica como parte dos seus orçamentos. Uma abordagem para a monetização (ou quantificação) da dívida técnica foi apresentada por Israel Gat no InfoQ.com em 2010.

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT