BT

Eclipse Juno traz Eclipse 4 como padrão

por Alex Blewitt , traduzido por Leonardo Campos em 03 Jul 2012 |

No final de Junho, a Fundação Eclipse lançou sua nona distribuição anual, o Juno, o qual reúne os lançamentos de setenta e dois projetos, incluindo vários que são novos tanto para a plataforma Eclipse quanto para a distribuição. A imagem a seguir, criada por Holger Voormann, exibe um gráfico do crescimento da base de código nos últimos oito anos.

A mudança mais significativa neste lançamento é a adoção da plataforma Eclipse 4.x, que vem sendo desenvolvida durante três anos como parte do projeto E4. Tanto o Eclipse 4.0 quanto o 4.1 foram lançados como opções para as distribuições Helios e Indigo respectivamente. No começo deste ano houve um debate para decidir se a plataforma Eclipse 4 iria de fato ser a plataforma padrão da distribuição Juno; isto já foi resolvido e a linha do Eclipse 3.x está oficialmente em modo de manutenção. (Haverá um lançamento final da plataforma 3.8 como parte do Juno, mas não será inclusa em nenhuma combinação de downloads prontos para uso.)

O Eclipse 4 muda a forma como os plugins acessam os serviços. No Eclipse 2 e 3, os serviços eram acessados por meio de singletons e métodos estáticos. Com o Eclipse 4, passa-se a utilizar um modelo de injeção de dependência no qual os componentes são instanciados e então ligados a variáveis de instância marcadas por anotações da JSR 330. Outra alteração está na forma como a interface de usuário é criada. Ela passa a instanciada a partir de um modelo (serializado para o disco com o EMF), permitindo que as visualizações (views) da aplicação sejam construídas sem a necessidade de código possivelmente problemático. O Eclipse Equinox também traz a nova implementação de referência do OSGi R5, como noticiado anteriormente pela InfoQ americana:

"A cada ano o compromisso e dedicação dos commiters do Eclipse demonstram que este é um grande exemplo de desenvolvimento de código aberto e distribuído que consegue seguir um cronograma previsível, e escalar a dezenas de milhões de linhas de código" explica Mike Milinkovich, Diretor executivo da fundação Eclipse. "Estou muito feliz que o Juno tenha como base a plataforma 4.2 do Eclipse, oferencendo uma plataforma estável para inovação continuada na comunidade Eclipse."

Mais uma mudança significativa no caminho ao Juno foi a migração de quase todos os projetos Eclipse do CVS e SVN para o Git. No ano em quem o Eclipse Subversive (SVN) chega finalmente em sua versão 1.0.0, a maioria dos projetos no Eclipse foram migrados para o Git. Uma página relaciona a opção repositório feita por cada projeto no Juno. Os repositórios Git são integrados com o Gerrit (uma ferramenta de revisão com base no git) e foi por causa das vantagens que ele oferece que muitos projetos foram convertidos para o Git.

O Juno traz versões revistas de muitos projetos existentes, e também adicionar à distribuição projetos novos como:

  • BPEL Designer, uma ferramenta para definir documentos na Linguagem de Engenharia de Processos de Negócio (Business Process Engineering Language)
  • Xtend, uma linguagem estaticamente tipada e orientada a objetos com a concisão do Scala e compatibilidade reversa com o Java
  • Virgo, um container de tempo de execução inspirado no projeto Spring Dynamic Modules (Módulos Dinâmicos)
  • Recomendador de Código Eclipse, oferece feedback no formato de um conjunto de exemplo de trechos de código utilizando APIs
  • Mylyn Intent, permite criar ou editar documentação utilizando o Eclipse
  • Orion, uma IDE em browser para tecnologias web
  • Projeto Koneki, inclui um conjunto de ferramentas para desenvolvimento em Lua

Além dos novos projetos inclusos no pacote, estão presentes os já robustos conjuntos de ferramentas para desenvolvimento Java e C, acompanhados de tecnologias chave como Mylyn e BIRT. Cada um possui um documento apresentando suas novidades específicas, por exemplo o suporte ao Java 7 pelo JDT.

O conjunto de ferramentas para desenvolvimento C inclui uma versão revisada do codan, uma ferramenta para checagem estática para C. Mais informações podem ser obtidas na wiki do Eclipse sobre análise estática. O projeto Linux Tools alcança a versão 1.0.0 com o lançamento do Juno e estende o CDT com suporte a processos padrões do Linux, tais como GNU autoconf, valgrind, visualizadores de páginas do manual on-line (man pages) e suporte a geração de pacotes RPM.

O Eclipse Juno pode ser baixado como um dos diversos pacotes pré-configurados, por exemplo para desenvolvimento Java EE ou para desenvolvimento Móvel, que estão disponíveis na página de downloads da fundação.

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT