BT
x A sua opinião é importante! Por favor preencha a pesquisa do InfoQ sobre os seus hábitos de leitura!

Agile é enganação? Relatório da Voke repercute na comunidade ágil

por Marta Jasinska , traduzido por Robison Tesini em 02 Out 2012 |

A Voke, empresa de análise que foca nos ciclos de vida de aplicações e suas tranformações globais, publicou um relatório polêmico sobre metologias ágeis e suas implantações em diferentes empresas de tecnologia. O relarório está disponível no site da Voke, mas é necessário ter uma conta premium para ler o artigo completo - porém, há um resumo do relatório no site Application Development trends.

O relatório "O Dilema do Agile" apoia-se em dados de uma pesquisa com mais de 200 participantes - representantes de empresas de tecnologia e fora da área de TI, que utilizaram ou utilizam técnicas ágeis para desenvolvimento. O objetivo do relatório foi prover mais dados para organizações que estão avaliando a adoção de métodos ágeis.

Com base no que os participantes comentaram, o relatório define métodos ágeis como uma abordagem "centrada no desenvolvedor" que permite a exclusão, do processo de desenvolvimento, das áreas de QA (garantia de qualidade) e SysOps. O texto também defende que métodos ágeis permitem que o desenvolvedor "evite ou reduza processos, ferramentas, documentação e planejamento".

Isso tudo, além de mais de 40% dos respondentes reportarem não ter sucesso na adoção do Agile, deixaram os autores "menos que entusiasmados" com a adoção da métodos ágeis. Como dizem:

Saiba que o movimento ágil pode ser simplesmente um movimento de rebeldia dos desenvolvedores contra tarefas não desejadas e cronogramas, ou simplesmente uma oportunidade de vender serviços como certificações e consultoria.

Saindo do relatório, algumas outras informações podem ser vistas na pesquisa - 64% dos participantes achou a transição para métodos ágeis "confusa, difícil ou lenta"; apenas 28% disseram obter sucesso com a nova abordagem. Os principais benefícios reportados são entregas mais rápidas e mais feedback.

Existem muitos artigos sobre metodologias ágeis e histórias de sucesso disponíveis na internet que contradizem o relatório da Voke. Qual a sua opinião sobre o Agile? Acha que é "enganação" ou concorda, por exemplo, com alguns dos comentários no site Slashdot (são mais de 400), perguntando se "os analistas falaram com as 200 pessoas erradas", ou que a Voke falhou na sua metodologia de pesquisa?

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Resultado de más adoções... by Frederico Augusto de Camargo

Acredito ser apenas o reflexo de más adoções de agile pelas empresas mundo afora. Sabemos que o foco das metodologias ágeis são as pessoas! Todo argumento calcado em dizer que agile exclui documentação e processos é balela. Agile não se contrapõe a isto, apenas aumenta seu foco em pessoas. Quanto a questão 'movimento de rebeldia dos desenvolvedores', agile não foi concebido para melhorar a sustentabilidade do desenvolvimento do projeto de software, mas sim a sustentabilidade sistêmica, da organização e sua relação com clientes. Agile é pra quem tem "aquilo roxo".

Adotaram as metodologias completas ou apenas em parte? by Eduardo Souza

Uma coisa a ser analisada é se todas as pessoas consultadas implementaram um "full-Agile" ou se apenas implementaram aquilo que lhes era conveniente, para alardear que estavam fazendo agile.

As experiências contam que aqueles times que implementaram todas as etapas dos modelos ágeis tiveram muito mais sucesso que aqueles que só se utilizaram de parte das metodologias que não eram contrárias à filosofia da empresa ou do gestor do projeto.

Esses pontos tem muito peso na hora de dizer se adotar uma metodologia ágil funcionou ou não.

Adotaram as metodologias completas ou apenas em parte? by Sérgio Novelli

É muito fácil dizer que não funciona sem utilizar de forma correta.

Não podemos nos esquecer do principal ponto do ágile: foco nas pessoas! Porém se as pessoas não são capazes de aceitarem e se adaptarem às mudanças, não vai funcionar.

Implementar ágile numa empresa que já tem uma cultura madura é extremamente difícil, lenta e desgastante pois exige toda uma mudança de cultura da empresa. E isso inclui mudar a forma das pessoas pensar e trabalhar, inclui assumir mais responsabilidades, inclui se autogerenciar, controlar seu próprio tempo, sua quantidade e qualidade de produção.

Sendo assim, é lógico que esse processo deve ser feita ao longo do tempo. Não se muda para ágile da noite para o dia e tudo funciona maravilhosamente bem.

Outro ponto a se destacar é que não se adapta apenas o ágile à cultura da empresa. A empresa também tem que se adaptar ao ágile, pelo menos no início da implantação. Mas a meta deve ser a adaptação total da empresa ao ágile de forma incremental e não o contrário.

O problema dos métodos ágeis não está nos métodos, está nas pessoas, na cabeça de cada envolvido, no quanto cada um conhece e acredita no sucesso de sua utilização.

Re: Adotaram as metodologias completas ou apenas em parte? by Walter Mourão

"É muito fácil dizer que não funciona sem utilizar de forma correta."

Isso vale em relação aos métodos usados pelos simples mortais também. Os métodos que não fazem parte dessa moda também são bastante criticados por quem não os conhece.

Infelizmente, uma crítica parcial e desconstrutiva by Ronaldo Morais

O movimento ágil ainda é algo subdesenvolvido e emergente, que realmente precisa de críticas para ganhar maturidade, mas de críticas construtivas.

Infelizmente, pessoas inteligentes se uniram para destilar a desconstrução de algo que é o que há de mais moderno, legítimo e original no mundo da engenharia de software. Depois da conquista de um paradigma criado específicamente para a construção de software, uma turma defensora de estereótipos advindo de outras industrias e impostas guela abaixo no ambiente de desenvolvimento de software, vem se aproveitar dos defeitos que este novo modelo tem, para dar uma de "atirador de pedras em Maria Madalena".

A afirmação abaixo só pode ter partido de um shiita, conservador e rebelde.

"Saiba que o movimento ágil pode ser simplesmente um movimento de rebeldia dos desenvolvedores contra tarefas não desejadas e cronogramas, ou simplesmente uma oportunidade de vender serviços como certificações e consultoria".

Steve McConnell, no livro Code Complete, menciona que, ao termos um software pronto, de todas as fases do ALM, a única que temos certeza que foi cumprida é a construção. Qualquer uma pode ter sido pulada ou esquecida, menos a construção. Os métodos ágeis, sem tirar a importância de nenhuma das outras atividades, inverteu o foco do olho burocrático do ciclo de vida de desenvolvimento para a construção e as necessidades dos cliente. Isso era a essência da necessidade do setor. Catar números negativos para tentar desconstruir essa conquista chega a soar criminoso.

Questão dos QAs by Tarcísio Mello

Muito me surpreende a frase "uma abordagem "centrada no desenvolvedor" que permite a exclusão, do processo de desenvolvimento, das áreas de QA (garantia de qualidade) e SysOps" Especialmente nos projetos em que trabalhei utilizando Scrum, o papel do QA ficou ainda mais forte e influente do que antes. Tudo é uma questão de se fazer a coisa da maneira correta.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

6 Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT