BT

Agilidade solitária: tornando-se Agile antes da própria equipe

por Ben Linders , traduzido por Marcelo Cenerino em 24 Set 2013 |

É comum que organizações realizem uma transformação ágil que atinge toda uma equipe, projeto ou departamento, tendo em vista que a agilidade é uma abordagem voltada a equipes. Mas existem profissionais que começam a utilizar práticas ágeis individualmente, ou que trabalham de forma ágil em equipes de apenas uma pessoa. Como essas pessoas podem adotar práticas ágeis e quais os tipos de benefícios que podem obter com isso?

Fiona Hanington escreveu um post intitulado "Posso ser um comunicador técnico ágil quando meu time não é?", no qual discute as possibilidades para se adotar técnicas ágeis individualmente. Hanington realizou alguns treinamentos que a inspiraram a querer adotar técnicas ágeis e a mudar sua maneira de trabalhar, mesmo antes de saber quando sua unidade organizacional faria a transição:

Preciso mesmo esperar o restante da equipe adotar métodos ágeis antes que eu possa fazê-lo? Ou existem aspectos da metodologia ágil que posso incorporar em meu trabalho desde já?

Como sua unidade organizacional ainda não está realizando a transição ágil, Hanington reconhece algumas limitações:

Atualmente trabalhamos em um ambiente que segue o modelo cascata tradicional: primeiramente levantam-se os requisitos, depois acontecem as fases de execução, testes, correções, lançamento de versão beta, mais correções e, finalmente, o lançamento da versão comercial do produto. Para realizar certas entregas ao longo das fases do projeto, preciso confiar em documentos de planejamento e outros artefatos elaborados por outros grupos. Por conta disso, sou forçada a esperar por minha unidade se tornar ágil antes que eu possa ser realmente uma comunicadora técnica ágil.

Hanington explora diversas práticas que podem ser adotadas para se tornar ágil por conta própria, explicando como é possível focar nas necessidades do cliente durante o trabalho diário, ao questionar os requisitos que chegam. Ela discute as possibilidades de usar técnicas de planejamento ágil, como dividir o trabalho em tarefas pequenas, usar um quadro de planejamento pessoal para tornar visível o trabalho que está realizando, focar no planejamento a curto prazo e responder a mudanças, usar timeboxing, Kanban e definição de prioridades para as tarefas que irá realizar. Sua conclusão é que é possível adotar uma forma ágil de trabalhar individualmente:

Não preciso esperar pela possibilidade de fazer parte de uma equipe totalmente ágil para utilizar práticas ágeis. Mesmo no modelo de trabalho em cascata, comecei a trazer alguns dos princípios ágeis para o meu dia a dia de trabalho. Ironicamente, os passos que tomei até agora me fizeram sentir mais parte do time que antes, embora eu esteja tomando as práticas emprestadas de um modelo diferente.

Em outro post, "Faça sua transformação ágil pessoal", Len Lagestee discute o que pode significar para um indivíduo se tornar ágil.

Sua jornada pessoal através de um transformação organizacional ou imersão em um ambiente ágil será uma experiência única. Você pode ou não já ter tido experiência com agilidade. A mudança pode vir muito naturalmente ou gerar ansiedade.

Segundo Lagestee essa jornada pessoal inicia quando se entende o que é agilidade e ao experimentar algumas de suas práticas. Ele deixa claro que os indivíduos têm que adotar agilidade no seu próprio ritmo:

Não deixe que ninguém lhe diga onde se deve estar no caminho ou como deveria estar se sentindo. Descubra em qual ciclo você está agora e determine o que precisa ser feito para alcançar o próximo nível.

Em outro post, Phil Johnson faz a seguinte pergunta: "Desenvolvedores que trabalham sozinhos podem adotar métodos ágeis?"

Existem desenvolvedores que, por opção própria ou pelas circunstâncias, trabalham em times de apenas uma pessoa. Esses desenvolvedores são excluídos do uso de métodos ágeis para gerir o próprio trabalho de desenvolvimento ou será que mesmo solitários podem adotar tais métodos?

Johnson explica por que acredita que um indivíduo pode utilizar métodos ágeis e se beneficiar com isso. Ele elaborou uma lista de práticas ágeis que incluem:

  • Crie pequenos pedaços de trabalho claramente definidos (exemplo, histórias de usuário);
  • Realize reuniões diárias (standups) antes de iniciar o trabalho;
  • Mantenha um controle de quanto tempo se leva para realizar as tarefas e quantas delas são concluídas em cada sprint;
  • Comunique-se frequentemente com o cliente, para fornecer atualizações regulares e versões do produto, além de solicitar feedback e sugestões.

E você, já utilizou práticas ágeis mesmo antes que seu time tenha começado a fazê-lo? Já utilizou tais práticas trabalhando em times de apenas uma pessoa? Obteve benefícios ao adotar práticas ágeis individualmente?

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

Bagunça gerenciada! by Daniel Alves

Atualmente estou em dois projetos onde sou o único desenvolvedor. Em ambos, utilizo algumas técnicas ágeis como o kanban e outras práticas do scrum.

Pode, num primeiro momento, parecer um desperdício fazer isso, mas tais práticas garantem uma organização pessoal do projeto, permitindo que eu possa medir e me programar de acordo com minha própria velocidade. Dessa forma, eu estou conseguindo dar prazos um pouco mais coerentes do que frases como "eu acho que uma semana".

Equipe de um só by Giovanni Candido

Eu utilizo práticas e técnicas de kanban e scrum para executar meus projetos pessoais. Gerencio toda documentação, planejamento e executação com ferramentas, controlo a versão dos projetos. Para mim só falta implantar testes automáticos no meio. No meu trabalho tudo o que aprendi por conta própria estou liderando a implantação dessas técnicas. Pessoalmente eu tenho um controle muito maior do passado do presente e do futuro de meus projetos. E facilmente compartilho código e trabalho com outras pessoas, elas seguem o que eu planejei para mim mesmo, é muito melhor do que ficar na bagunça. Basta ter disciplina e "trocar de chapeu" na hora certa, já fazemos isso quando desenvolvemos por conta própria, só não paramos para pensar e organizar. Eu esqueço do que fiz e olho para tráz, meu comentários em minhas tarefas me dão a oportunidade de ficar semanas sem fazer nada ocupado com outras coisas e mesmo assim voltar exatamente aonde parei sem perda de tempo, o segredo é trabalhar como se estivesse em um equipe!
É claro uma equipe, tem interação, troca de idéias, comunicação e divisão de tarefas, uma pessoa é limitada, mas você pode se surpreender do quanto pode ser feito ao pensar como uma equipe. E claro meu clientes tem um feedback muito mais fidedigno, e transparente sobre meu tempo de trabalho e de tudo o que fiz, com poucos cliques de distancia. É muito melhor

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber menssagens dessa discussão

2 Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2013 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT