BT
x A sua opinião é importante! Por favor preencha a pesquisa do InfoQ sobre os seus hábitos de leitura!

Crescente da Programação Reativa

por Dio Synodinos , traduzido por Vitor Puente em 07 Nov 2013 |

A Programação Reativa baseia-se em fluxos de dados e na propagação de mudanças, com o modelo de execução de uma linguagem de programação repercutindo automaticamente alterações através do fluxo de dados. Com a popularidade de arquiteturas orientadas a eventos, escaláveis e interativas, tanto do lado do cliente quanto do servidor, o conceito de "reatividade" está ganhando cada vez mais atenção.

O InfoQ já vem acompanhando esse paradigma há alguns anos. Algumas semanas atrás o grupo de pesquisa Gartner incluiu os termos "Programação Reativa" e "Web orientada a eventos" em sua publicação "Hype Cycle for Application Development, 2013", na seção "On the rise" (Em crescimento).

Recentemente, Bruce Eckel, autor de vários livros sobre programação, e Jonas Boner, criador do Akka e CTO da Typesafe, publicaram o "Manifesto Reativo", o qual visa definir o que são aplicações reativas.

Segundo os autores, essas aplicações devem ser capazes de:

  • Reagir a eventos - a natureza de ser orientada a eventos permite as demais qualidades;
  • Reagir a cargas - foco na escalabilidade ao invés de performance voltada a um usuário apenas;
  • Reagir a falhas - ser resiliente com a capacidade de recuperação em todos os níveis;
  • Reagir aos usuários - combinar as características acima para proporcionar uma experiência de usuário interativa.

Seguindo a publicação desse manifesto, Martin Odersky, criador do Scala, Erik Meijer, criador do Reactive Extensions e Roland Kuhn, líder técnico do Akka, anunciaram um curso gratuito chamado "Princípios de Programação Reativa", no Coursera.

O intuito do curso é ensinar os princípios de Programação Reativa, uma disciplina emergente que combina sistemas concorrentes, sistemas orientados a eventos e sistemas assíncronos. É essencial para a escrita de qualquer sistema distribuído ou baseado em web services; também é de extrema importância para muitos sistemas concorrentes de alto desempenho. A Programação Reativa pode ser vista como uma extensão da programação funcional mais abstrata voltada a sistemas concorrentes que lidam com estado distribuído, coordenando e orquestrando cadeias de dados assíncronos trocadas pelos atores.

Uma empresa que tem utilizado muito a Programação Reativa é o Netflix. Inclusive contribuiu com o porte do Rx para o Java:

A Programação Reativa Funcional tem possibilitado aos desenvolvedores do Netflix elevar a concorrência do lado do servidor sem as típicas preocupações com sincronização ou thread-safety. A implementação da camada de serviços da API tem total controle sobre os detalhes específicos da concorrência. Isso nos permite procurar cada vez mais por melhorias no desempenho sem o receio de quebrar o código do cliente. O RxJava é eficaz no servidor e está cada vez mais presente em nosso código.

O Facebook também lançou recentemente a biblioteca React JavaScript, para construção de interfaces com usuários sofisticadas. Stoyan Stefanov, engenheiro do Facebook, explica o principal conceito por trás do React:

O React permite construir aplicações utilizando componentes capazes de renderizar dados. Quando os dados mudam, os componentes são automaticamente atualizados de maneira muito eficiente e apenas quando necessário. Todo o trabalho de vincular e desvincular gerenciadores de eventos fica por conta do React. Também de maneira eficiente - usando delegação.

A Programação Reativa já está chamando a atenção da comunidade de desenvolvedores de front-end. Tal interesse iniciou no ano de 2009 com o paper Flapjax [PDF], e contribuiu com diversas bibliotecas que implementaram os princípios da Programação Reativa, tais como Bacon.js, Knockout, Meteor, React.js, Reactive.coffe e RxJS.

No QCon de San Francisco de 2013, haverá uma grande cobertura do paradigma Reativo por toda as tendências de TI e inovação, tanto em tutoriais e em tracks regulares.

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão
Comentários da comunidade

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT