BT

Desmontando os mitos sobre equipes auto-organizáveis

por Mário Henrique Trentim em 06 Out 2011 |

Esther Derby, renomada consultora e escritora em técnicas ágeis, escreveu recentemente em seu blog criticando o mito da auto-organização em equipes. Ela diz que a moda da "auto-organização" é fruto da falta de compreensão por parte dos gerentes sobre estruturas organizacionais e a formação de equipes. Derby cita comentários de gerentes e questiona:

Do ponto de vista de um gerente, será que isso significa que podemos unir pessoas em equipes de projetos e elas irão se auto-organizar e produzir resultados de alta performance?

Derby chama a atenção para o fato de que equipes auto-organizáveis dependem de tempo, formação e estruturas de apoio. Elas não nascem do dia para a noite, conforme a vontade dos gerentes. Ela aponta três concepções erradas:

  1. Equipes auto-organizáveis são completamente autônomas, auto-gerenciadas e não precisam de gerentes.

  2. Para formar uma equipe auto-organizável, basta indicar um objetivo e exercer pressão sobre a equipe para atingi-lo.

  3. Considerando que a equipe é auto-organizável, ou auto-organizada, a equipe pode acomodar a perda e a inclusão de membros facilmente. 

Errado: Equipes auto-organizadas não precisam de gerentes

Sobre o primeiro erro, Derby afirma que existe um motivo para utilizar o termo "auto-organizáveis" em vez de "auto-organizadas". O motivo é que se trata de um processo; não é algo estável. Isto é, a auto-organização ocorre continuamente.

A auto-organização, do ponto de vista de sistemas sociais, apenas significa a possibilidade da equipe ou grupo de criar novas abordagens e se adaptar para enfrentar novos desafios e mudanças no seu ambiente.

Derby destaca que equipes auto-organizáveis possuem autoridade limitada para se comprometer, organizar e definir seu próprio trabalho. Ou seja, a equipe desenvolve estratégias para trabalhar e se organizar dentro de limites determinados pela estrutura organizacional e o ambiente externo.

As equipes de projeto não existem independentemente, por si só, e sim para produzir um produto ou serviço capaz de agregar valor para a empresa. As equipes e seus membros são responsáveis por atingir os resultados esperados para a organização.

Os gerentes devem criar condições para que equipes auto-organizáveis se formem e se desenvolvam, reforça Derby.

Jurgen Appelo defende a mesma ideia, dizendo que o papel mais importante dos gerentes é criar condições para que as equipes se formem e alcancem alta performance sustentável.

Errado: O time-boxing força qualquer grupo a se transformar em uma equipe. Basta colocar um grupo de pessoas juntas e lhes dar um desafio, que se unirão em uma equipe.

Para Derby, é óbvio que qualquer equipe necessita de objetivos claros e motivadores; sem isso não existe razão para a existência de uma equipe. Ela lembra que os membros da equipe também devem possuir as capacidades técnicas necessárias para o trabalho, bem como as habilidades de comunicação e relacionamento interpessoal essenciais para o trabalho em equipe. Além disso, a equipe precisa das ferramentas e recursos necessários para atuar, bem como a integração com o restante da empresa.

O método de utilizar pressão para forçar pessoas a trabalharem em equipe normalmente tem efeitos desastrosos.

O time-boxing concentra os esforços e estimula o foco em objetivos para a equipe, criando um ritmo de trabalho e fornecendo feedback sobre a execução. Porém, metas inatingíveis e alta pressão não favorecem a formação de equipes auto-organizáveis; ao contrário, prejudica seu desenvolvimento.

Errado: Equipes ágeis auto-organizáveis devem ser capazes de acomodar a mudanças frequentes na composição de seus membros.

Derby defende que as equipes precisam de tempo para serem formadas e se desenvolverem, o que também é reforçado pelos estágios de desenvolvimento de Tuckman. Os membros de uma equipe aprendem juntos, criam normas de funcionamento e preparam o caminho para a obtenção do alto desempenho da equipe.

Algumas equipes atingem o estágio de alta performance e são abertas ao ingresso de novos membros, mas não devem sofrer grandes alterações. A estabilidade é um fator muito importante. Derby diz que

Alterar mais de 30% da equipe de uma só vez pode levar a equipe novamente para o estágio inicial de formação (reboot). Alterações frequentes dos membros (turnover) impedem o desenvolvimento da equipe. [...] O papel dos gerentes é proporcionar condições para que os membros das equipes permaneçam o maior tempo possível juntos. Os gerentes devem proteger as equipes e evitar trocas constantes de seus membros.

Conclusões

Derby argumenta que as equipes auto-organizáveis necessitam sim de gerentes. São os gerentes que determinam os objetivos e metas das equipes, e cuidam das habilidades e capacidades das pessoas, seja na contratação ou no desenvolvimento dos componentes da requipe.

Os gerentes são responsáveis por proteger a equipe e também por estabelecer limites mínimos dentro dos quais seja capaz de se organizar. Além disso, são os gerentes que fazem a integração das equipes entre elas e delas com a empresa como um todo.

Olá visitante

Você precisa cadastrar-se no InfoQ Brasil ou para enviar comentários. Há muitas vantagens em se cadastrar.

Obtenha o máximo da experiência do InfoQ Brasil.

Dê sua opinião

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

Os gerentes são os carrascos das corporações. Masoquistas adoram gerentes. by Pablo Leary

Hoje quando sinto a necessidade de me alimentar ou outra necessidade , faço por conta própria . Quando eu nasci minha mãe era responsável pela minha alimentação e segurança; o resto eu continuava fazendo por conta própria.Todos nascem com instintos básicos independente de um gestor.

É muito belo citar que o gerente é responsável por manter uma equipe unida e feliz . Administrando metas, falhas, cronogramas, orçamento e pessoas.

Na prática não é de todo assim. Os gerentes são os carrascos dos seus superiores. Eles agem sobre ordens "militares" (diretores,presidentes,patrões,explorador).E as vezes agem para proteger seu próprio posto.

Temos casos de sucesso de empresas como Google, Youtube e outras que iniciaram sem gerentes (posso dizer superficialmente porque não trabalhei lá) .

Como um preso pode libertar outro preso ? Se gerente não tem conhecimento técnico para desenvolver um software , como ele pode palpitar como as coisas devem ser ? Por isso que na prática ele funciona como um órgão repressor. Ele "bate" e o patrão "assopra".

Em pleno século XXI estamos discutindo meios de produção do século XIX.

Os gerentes estão com medo de perderem seus postos.Na minha modesta opinião a função de uma pessoa com o cargo gerente é superficial. Poderíamos delegar esta tarefa aos estagiários , para que eles pilotem seus "projects da vida" e deixem a equipe produzir e se auto-organizar.

Gerentes na sua maioria são um gargalo para produção. Enviar e-mails, fazer reuniões e controlar prazos a própria equipe pode fazer. O estagiário se encarregaria de organizar isso de uma melhor forma para equipe.

Tai uma solução. Vou propor para empresas que eu trabalhar substituírem os gerentes por estagiários. Elas vão reduzir os custos e produzir mais. rsrsrs

Brincadeiras a parte, eu acredito em equipes que podem se auto-gerir é preciso ter pensamento de vanguarda.

Re: Os gerentes são os carrascos das corporações. Masoquistas adoram gerent by Mario Henrique Trentim

Olá Pablo! Acho que é uma questão cultural e também da estrutura da empresa.

Pelos seus comentários, vc deve ter pessimas experiencias com gerentes.

Mas eu te asseguro que existem bons e otimos gerentes. Inclusive, as empresas que vc citou possuem gerentes: Google, Microsoft e outras. Eu conheco alguns deles. Startups, na medida em que vao crescendo, tambem sentem necessidade de estrutura e gerentes... veja o Facebook e o Groupon (conheco gerentes do Groupon...).

Nao podemos ser tao extremistas na hierarquia (Comando&Controle - 1a Geraçao da Administração), mas também não existem equipes auto-organizadas sem limites... é mito. Os próprios mentores do manifesto e do movimento Agile dizem que precisamos de gerentes. Mas precisamos de BONS gerentes, não é?

Grande abraço,

Discordo by Rildo Santos

Achei legal o texto, pois, ele discute um tema da atualidade no que diz respeito a projetos e pessoas.
Contudo, o texto só aponta opiniões (duas) sobre equipe auto-organizada, não chega a desmontar o mito, pois no texto não existem fatos que comprovem isto.
Acho que não é de gerente que as equipes precisam e sim de lideres.

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

HTML é permitido: a,b,br,blockquote,i,li,pre,u,ul,p

Receber mensagens dessa discussão

3 Dê sua opinião

Conteúdo educacional

Feedback geral
Bugs
Publicidade
Editorial
InfoQ Brasil e todo o seu conteúdo: todos os direitos reservados. © 2006-2014 C4Media Inc.
Política de privacidade
BT